Na Arena da Baixada

Athletico vira para cima do Fortaleza com gol nos acréscimos e encerra jejum de vitórias

(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)
(Foto: Geraldo Bubniak)

Athletico e Fortaleza protagonizaram no final da tarde deste sábado (7 de novembro), na Arena da Baixada, uma das mais emocionantes partidas do Campeonato Brasileiro. E no sufoco, na raça e de virada, a equipe paranaense conseguiu levar a melhor, encerrando uma sequência de onze jogos sem vitórias (sendo cinco derrotas consecutivas).

CONFIRA AS ATUAÇÕES: Pedro Henrique e Renato Kayser são os heróis do Furacão contra o Leão. 

ENTREVISTA PÓS-JOGO: ‘Essa vitória representa o verdadeiro potencial do grupo’, diz preparador físico do Athletico

No primeiro tempo, Bergson fez valer a lei do ex e colocou o Leão em vantagem aos 18 minutos. O time visitante seguiu melhor, criou chances diversas para ampliar e no começo da etapa final até balançou as redes e comemorou o segundo tento, mas o VAR anulou a jogada.

Tristeza de um lado, esperança do outro, que soube aproveitar a chance de se manter vivo no jogo e chegou ao empate aos 16 minutos do segundo tempo, com Carlos Eduardo. Vieram as chances para a virada. Apareceram as grandes defesas de Felipe Alves. E já nos acréscimos, aos 45 minutos, Renato Kayser fez o gol da emoção, o gol da vitória, o gol que marca o fim de um jejum. 2 a 1 para o Athletico contra o Fortaleza e um Furacão ressurge das cinzas!

Com o triunfo, a equipe treinada por Paulo Autuori chega aos 19 pontos e sobe para a 17ª colocação do Campeonato Brasileiro, empatado em pontos com Coritiba (18º), Vasco (16º) e Bahia (15º). O Fortaleza de Rogério Ceni, por outro lado, está em 10º com 24 pontos.

Escalações

Em comparação ao time que começou a partida contra o Flamengo, o técnico Paulo Autuori promoveu quatro mudanças, com as entradas do lateral-esquerdo Márcio Azevedo, dos meio-campistas Léo Cittadini e Nikão e do atacante Renato Kayzer nas vagas de Abner, Lucho González, Fabinho e Carlos Eduardo, respectivamente. O próprio treinador rubro-negro, aliás, foi um desfalque: cumpriu o terceiro e último jogo de suspensão imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e, por conta disso, não pôde ficar no banco.

Do lado visitante, Roger Carvalho (suspenso) e Quintero (lesionado) ficaram de fora. A principal novidade da equipe, contudo, foi no ataque, com Bergson, que havia estreado na última rodada do Brasileirão (derrota do Leão por 1 a 0 contra o Fluminense), comandando novamente o ataque da equipe cearense. O jogador de 29 anos teve passagem pelo Furacão, em 2018, quando foi campeão Paranaense, vice-artilheiro do estadual e também participou da campanha do título da Sul-Americana..

O Jogo

No primeiro tempo, o roteiro da partida da Arena da Baixada foi repetido. A equipe mandante teve maior posse de bola e trocou muitos passes. Mas, na prática, pouco conseguiu produzir ofensivamente e teve até mesmo dificuldade para conseguir sair do próprio campo, já que o Fortaleza buscou desde o início jogar em cima do rival, pressionando a saída de bola do Athletico e forçando os erros de passe para atacar em velocidade.

A primeira chance da partida, logo aos três minutos, foi um presságio do sofrimento por vir. O goleiro Santos, jogador de seleção brasileira, ídolo histórico do Furacão,
saiu jogando terrivelmente com os pés e entregou para Bergson dentro da área. O gol só não saiu por causa da falta de oportunismo do atacante e do heroísmo de Pedro Henrique, que se atirou da forma que dava contra a bola e conseguiu salvar o lance com um carrinho em cima da linha da meta.

Os cearenses seguiram melhor na partida e criaram boas chances aos 15 e aos 16 minutos. Aos 18, o gol finalmente saiu: assistência de David para Bergson fazer valer a lei do ex e desesperar ainda mais a torcida curitibana. É aquela velha história: ‘água mole em pedra dura...”

Na saída para o intervalo, um depoimento marcante do meia-atacante Nikão. “Em tanto tempo que estou aqui, fazia tempo que eu não via um primeiro tempo tão ruim como o que a gente fez", disse o ídolo atleticano.

Para tentar mudar o script, a saída foi, já na volta do intervalo, mexer na equipe paranaense, com o lateral-esquerdo Abner Vinícius substituindo Márcio Azevedo e o meio-campista Christian entrando no lugar do lateral-direito Khellven (Erick, então, foi deslocado para o lado do campo). Deu certo e o Fucarão esboçou uma melhora, apresentando maior volume no campo ofensivo e mais velocidade na transição das jogadas e na movimentação no ataque.

Por pouco, porém, o Leão não ampliou a vantagem em sua primeira investida, aos nove minutos. Bergson chegou a balançar as redes pela segunda vez, o Fortaleza comemorou e chegou a se posicionar para mais uma saída de bola no meio de campo. Auxiliado pelo VAR, contudo, o árbitro Ramon Abatti Abel assinalou um impedimento na jogada e anulou o tento.

O Athletico soube aproveitar o fôlego que ganhou com o gol anulado e chegou ao empate aos 16 minutos. Carlos Eduardo, que quatro minutos antes havia entrado em campo no lugar de Reinaldo, iniciou a jogada pelo lado do campo, disparou pelo meio e recebeu já dentro da área para bater firme e empatar: 1 a 1.

Até os minutos finais, a equipe paranaense teve mais duas chances de gol. A bola não entrou, parecia não querer entrar. Mas só parecia. Já nos acréscimos, passados os 45 minutos da etapa complementar, Renato Kayser apareceu bem dentro da área para chutar. A bola ainda desviou na testa de um jogador do Fortaleza antes de morrer no fundo da rede: 2 a 1 e fim do jejum!

FICHA TÉCNICA

ATHLETICO 2 X 1 FORTALEZA

Athletico: Santos; Khellven (Christian), Pedro Henrique, Thiago Heleno e Márcio Azevedo (Abner Vinícius); Wellington, Erick, Léo Cittadini (Fernando Canesin) e Nikão; Reinaldo (Carlos Eduardo) e Renato Kayzer (Felipe Aguilar). Técnico: Paulo Autuori
Fortaleza: Felipe Alves; Gabriel Dias, Jackson, Paulão e Bruno Melo; Juninho, Felipe, Romarinho (Marlon), Osvaldo (Yuri César) e David (Ronald); Bergson (Wellington Paulista). Técnico: Rogério Ceni
Gols: Bergson (18-1º), Carlos Eduardo (16-2º) e Renato Kayser (45-2º)
Cartões amarelos: Jackson, Bergson (F), Wellington. Fernando Canesin (A)
Árbitro: Ramon Abatti Abel (SC)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR), sábado (7 de novembro) às 18 horas

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo

4 - Santos domina a bola dentro da área, tenta sair jogando e entrega para Bergson. O atacante fica livre de frente para o gol, empurra a bola e Pedro Henrique chega de carrinho para tirar em cima da linha.

10 - Cruzamento para a área, THiago Heleno aparece na segunda trave e cabeceia. A bola desvia na defesa e o zagueiro atleticano fica pedindo um pênalti, alegando toque de mão do marcador.

15 - Cobrança de escanteio do Fortaleza, a bola viaja até a primeira trave e Gabriel Dias cabeceia raspando o travessão.

16 - Bergson recebe boa bola na linha de fundo, dá o toque para trás e a bola atravessa em frente ao gol. Osvaldo não conseguiu chegar.

18- Gol do Fortaleza! David recebe dentro da área, finge que vai finalizar e toca para o lado. Bergson aparece livre no meio da área, de frente para o gol, e chuta de chapa para vencer o goleiro Santos.

30 - David avança pelo lado do campo e aciona Osvaldo na entrada da área. O atacante chuta forte e Santos segura.

32 - Cruzamento da direita, Santos espana a bola e a sobra fica com Bergson, que finaliza de cabeça, por cobertura. A bola se aproxima do gol, mas Pedro Henrique chega para salvar de novo o Athletico.

38 - Lançamento de Bergson para David, que aparece em boa condição na área. Ele tenta sair da marcação, mas é cercado por cinco e acaba desarmado.

Segundo tempo

9 – Gol do Fortaleza! Mas não valeu…Romarinho dá ótima enfiada de bola para Bergson, que invade a área e chuta cruzado. O VAR< porém, revisa o lance e assinala um impedimento.

16 – Gol do Athletico! Carlos Eduardo desce pela esquerda do ataque, toca na frente para Renato Kayser e dispara para receber de volta dentro da área e chegar batendo firme para empatar a partida.

23 – Lançamento de Christian para Renato Kayser, que aparece bem nas costas da defesa e finaliza firme. Grande defesa de Felipe Alves, no reflexo!

44 – Boa jogada do Athletico pela direita, a bola é cruzada e Renato Kayser cabeceia bem, no contrapé de Felipe Alves, que consegue praticar grande defesa.

45 – Gol do Athletico! Ataque e defesa disputam a bola, que fica viva dentro da área. Renato Kayser aparece em velocidade, fica com ela e chuta firme. A bola ainda desvia no zagueiro e morre no fundo da rede.

49 – Contra-ataque do Athletico, Renato Kayser recebe em boa condição dentro da área e tenta o chute, mas é travo na hora H.