Publicidade
Anfitrião de bichos

Hospedar cães vira ramo rentável em expansão

"Tanara Garcia se mudou do Mato Grosso para Curitiba: familia fatura R$ 3 mil mensais com servi\u00e7o"
"Tanara Garcia se mudou do Mato Grosso para Curitiba: familia fatura R$ 3 mil mensais com servi\u00e7o" (Foto: Divulgação)

A matogrossense Tanara Garcia, de 31 anos, sempre morou em fazenda. Quando se mudou para Curitiba, em 2015, sentiu um grande vazio pela falta do convívio com os seus 5 cachorros. Foi, então, que ela encontrou a DogHero, aplicativo que conecta pais de cachorro a passeadores e anfitriões que hospedam o pet em casa. Tanara se cadastrou com o objetivo de se tornar uma anfitriã e poder cuidar de cães no tempo livre. A oportunidade superou as expectativas. Além de suprir a saudade dos bichos, ela percebeu que conseguia gerar renda para toda a sua família.

Atualmente, Tanara trabalha em uma faculdade na Capital e hospeda de 2 a 3 cachorrinhos por semana, recebendo em média R$ 3 mil mensais com o aplicativo. Ela cuida dos hóspedes com a ajuda de seus pais, Gildécio e Fátima: a família tem a hospedagem como fonte de renda principal. “No começo, quando estava sozinha, atendia apenas nas minhas férias e feriados prolongados por conta do meu trabalho. Hoje, meus pais me auxiliam no atendimento”, conta a anfitriã.

Assim como Tanara, 850 pessoas fazem renda extra trabalhando de casa, cuidando de cachorrinhos, como anfitriões da DogHero no Paraná. Hoje há mais 27.000 cães cadastrados na DogHero no Estado. “A DogHero é uma oportunidade para pessoas que são loucas por cachorro ganharem uma renda extra fazendo algo que realmente amam”, diz Eduardo Baer, co-fundador e CEO da DogHero.

Para se tornar anfitrião, é preciso cumprir requisitos de segurança da residência e realizar testes de conhecimentos sobre cães. Cerca de 20% dos candidatos são aprovados. Além de responderem um formulário online que leva cerca de duas horas, a empresa pede fotos dos ambientes da casa, para ter certeza de que o cão estará seguro e bem cuidado. 

Além disso, após a aprovação, o app disponibiliza cursos online (Escola de Heróis): os anfitriões assistem às aulas e realizam as provas para aprimorar os conhecimentos sobre os cuidados com os cães. Ao final, os escudos das conquistas são inseridos no perfil de cada anfitrião.

“A renda principal dos meus pais hoje é a DogHero. Eles gostam muito de cuidar dos hóspedes e se identificam muito com a comunidade. Levamos os cachorrinhos para passear durante o dia e eles possuem livre acesso tanto aos sofás quanto às camas da casa”, completa Tanara. A DogHero foi lançada em 2014 por Eduardo Baer e Fernando Gadotti e está presente em mais de 750 cidades no Brasil, Argentina e México. Hoje, o aplicativo é a maior empresa de serviços para cães da América Latina e possui de 16 mil anfitriões e passeadores.

O único, digamos senão do aplicativo, é que ele trabalha apenas com pessoas que hospedam cães e não outros animais. Os donos quando deixam os animais como os anfitriões podem acompanhar o dia a dia do animal através de fotos e vídeo que são enviados pelos cuidadores.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES