Publicidade
Brasileirão

Inatividade é obstáculo para três dos sete reforços do Paraná

"Cl\u00e9ber Reis: zagueiro n\u00e3o joga desde dezembro de 2017"
"Cl\u00e9ber Reis: zagueiro n\u00e3o joga desde dezembro de 2017" (Foto: Geraldo Bubniak)

O Paraná Clube trouxe sete reforços para o Campeonato Brasileiro. Para três deles, o principal obstáculo nas primeiras rodadas da competição será a inatividade nos últimos meses. Para o zagueiro Cleber Reis, o meia Caio Henrique e o centroavante Luan Viana, a meta inicial é recuperar o chamado 'ritmo de jogo'. 

Cleber Reis ainda não atuou em 2018. Ele estava no Santos, sem ser utilizado pelo técnico Jair Ventura. Seu último jogo foi em 3 de dezembro, pelo Coritiba, na derrota por 2 a 1 para a Chapecoense. Ou seja, está há mais de quatro meses sem jogar.

Luan Viana, 22 anos, veio do Al-Ahli, dos Emirados Árabes. Está no Paraná desde fevereiro e, por problemas na documentação, não foi registrado no Campeonato Paranaense. Não há registro de qual foi sua última partida oficial. Antes de ir para o Oriente Médio, o jogador estava no Grêmio. No clube gaúcho, nunca chegou a disputar uma partida como profissional. 

Outro inativo do Paraná é o meia Caio Henrique, 20 anos, que só ficou seis minutos dentro de campo em 2018. Pelo Atlético Madrid B, entrou nos minutos finais da vitória sobre o San Sebastián Reyes, pela terceira divisão da Espanha. Antes disso, sua última partida foi em 26 de novembro, também pelo time B do clube espanhol. 

O técnico Rogério Micale, porém, não colocou a falta de ritmo de jogo como obstáculo ao desenhar o primeiro esboço para a estreia no Campeonato Brasileiro. Cleber Reis, Luan Viana e Caio Henrique foram titulares no jogo-treino do último sábado, contra o Joinville. O time teve a seguinte formação na primeira parte daquele trabalho: Richard; Alemão, Cléber Reis, Ryan e Mansur; Wesley Dias, Caio Henrique, Léo Itaperuna, Carlos Eduardo e Raphael Alemão; Luan Viana. 

Caio Henrique atuou como volante. Léo Itaperuna e Raphael Alemão jogaram como extremos (meias ofensivos pelas pontas) no esquema tático 4-2-3-1 de Micale.

Os outros quatro reforços do Paraná estavam em atividade em 2018. O ponta Silvinho foi titular da Ponte Preta no Paulistão e na Copa do Brasil. Léo Itaperuna jogou em nove rodadas do Paulistão (quatro como titular) pelo São Bento. Raphael Alemão defendeu o Foz em dez jogos do Paranaense. O zagueiro Jesiel foi titular em seis jogos do Mirassol no Campeonato Paulista.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES