Comércio

Indicadores mostram otimismo para o segundo semestre

Apesar da pandemia, animo pode estar mudando
Apesar da pandemia, animo pode estar mudando (Foto: Hully Paiva/SMCS)

O indicador Intenção de Consumo das Famílias (ICF), divulgado nesta segunda-feira (21) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), ficou em 67,5 pontos, revelando alta de 2,1% em junho, considerando o ajuste sazonal.

A economista da CNC responsável pela pesquisa, Catarina Carneiro da Silva, disse que todos os indicadores tiveram crescimento. Mas, para que haja uma retomada do consumo, Catarina Carneiro da Silva afirmou que a população precisa estar totalmente vacinada.

A reabertura do comércio, em algumasa regiões do país, permitiu uma aceleração nas vendas de lojas físicas, que enfrentam dificuldades desde o início da pandemia. Em abril, o varejo físico registrou um crescimento de 538,2% no fluxo de pessoas nos comércios em relação ao mesmo período do ano passado. Somente nos shoppings centers, o aumento foi 452,4%.

Aliado a isso, o otimismo do emresário também melhorou. O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), aferido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), voltou ao patamar favorável, subindo de 98,0 pontos em maio para 106,6 pontos em junho. Trata-se de uma alta de 8,8% em um mês e de impressionantes 51,7% na variação anual.

E-commerce — Segundo o levantamento realizado de 1 de janeiro a 10 de junho de 2021 com mais de 4 mil lojas online de todo o Brasil, o volume de entregas do e-commerce cresceu 84% em comparação com o primeiro semestre do ano passado no Paraná.