Setor vital

Indústria é estratégica para o desenvolvimento do Paraná

Mesmo com restrições, indústria se adaptou e mostra sua relevância durante a pandemia, sendo o setor que mais gera empregos no Estado
Mesmo com restrições, indústria se adaptou e mostra sua relevância durante a pandemia, sendo o setor que mais gera empregos no Estado (Foto: Gelson Bampi/Sistema Fiep)

Em 25 de maio é celebrado o Dia Nacional da Indústria, data que reforça a importância do setor para a economia e para a sociedade

A indústria, por tudo o que produz e pelos empregos e renda que gera, é estratégica para o desenvolvimento de qualquer país ou região. Para destacar a relevância desse setor, em 25 de maio é celebrado o Dia Nacional da Indústria. Uma data que, em 2021, chega ainda em meio a incertezas no cenário econômico causadas pela pandemia de Covid-19. Mas que, para a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), merece ser comemorada pela força que a indústria vem demonstrando para atravessar mais essa crise.

Para se ter uma ideia da importância da indústria, no Paraná ela movimenta o equivalente a R$ 93,7 bilhões anualmente, o que representa 24,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado – a soma de todas as riquezas produzidas pelos diferentes segmentos. Um montante que coloca o parque industrial paranaense como o quarto principal do país, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Tudo isso é feito por um conjunto de mais de 68 mil empresas que estão sob a representação institucional da Fiep. Indústrias que são responsáveis por mais de 890 mil empregos diretos. “O Paraná tem uma indústria forte e diversificada, com polos importantes de diferentes setores espalhados por todo o Estado”, afirma o presidente da Fiep, Carlos Valter Martins Pedro.

Força na pandemia

Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Estruturas, uma das instalações do Sistema Fiep que atendem a indústria em todo o Paraná (Crédito: Divulgação)

Toda essa força e diversificação da indústria paranaense ficou ainda mais evidente com a pandemia de Covid-19, que desde o ano passado vem causando impactos em todos os segmentos econômicos. “Com a pandemia, a indústria vem mostrando sua capacidade para se adaptar diante de várias restrições e para suprir a demanda por itens essenciais para toda a sociedade e, principalmente, para a área de saúde”, diz Carlos Valter.

Ele ressalta, também, que mais do que simplesmente sobreviver, o setor vem conseguindo aumentar significativamente seu nível de emprego mesmo durante esta crise, mostrando sua relevância para o equilíbrio econômico e social do Estado. Em 2020, a indústria foi o segmento que mais criou empregos formais no Paraná, com 24.799 novos postos de trabalho, respondendo por quase metade das vagas geradas no Estado no ano.

Um desempenho que vem se mantendo em 2021. No primeiro trimestre deste ano, já foram acumuladas mais 24.327 novas contratações pelo setor, segundo dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged). “Mesmo em meio a uma das piores crises vividas pelo país nos últimos tempos e sofrendo com os altos custos de produção no país, a indústria vem dando uma resposta extremamente positiva”, afirma o presidente da Fiep. “Isso mostra que o setor precisa ser mais valorizado, com uma política industrial que dê mais competitividade aos nossos produtos e possibilite novos investimentos, que contribuirão para a geração de ainda mais empregos e renda”, completa.

Apoio do Sistema Fiep

As mais de 68 mil empresas representadas pela Fiep são responsáveis por 890 mil empregos diretos (Crédito: Gelson Bampi/Sistema Fiep)


As comemorações pelo Dia Nacional da Indústria servem também para destacar as ações que as instituições que compõem o Sistema Fiep – Fiep, Sesi, Senai e IEL – desenvolvem para tornar a indústria paranaense ainda mais forte. Ações que estão sendo constantemente aprimoradas. “Otimizando a utilização de nossas estruturas e o conhecimento de nossos profissionais, temos colocado foco total sobre as reais necessidades das indústrias para ofertar serviços que agreguem valor e contribuam de fato para melhorias nos resultados das empresas”, explica Carlos Valter.

Trabalho que se faz presente em todas as regiões do Paraná, com diversas estruturas que prestam serviços em áreas como educação, capacitação profissional, saúde e segurança no trabalho, tecnologia e inovação, além da representatividade na defesa de interesses do setor.

Mês da Indústria
Para marcar a data, o Sistema Fiep promove, em 20 de maio, às 9 horas, um debate com o objetivo de destacar o trabalho da instituição e discutir temas relevantes para o setor. O evento, terá participação do industrial Jorge Gerdau Johannpeter, membro do Grupo de Controle da Gerdau e presidente do Conselho Superior do Movimento Brasil Competitivo (MBC); e de Jorge Lima, Secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação do Ministério da Economia.

Eles falarão sobre o projeto que o MBC e o ministério desenvolvem em parceria, com o objetivo de reduzir o chamado Custo Brasil. Os estudos realizados chegaram à conclusão de que, por ano, o setor produtivo nacional tem gastos adicionais de R$ 1,5 trilhão, quando se comparam as condições de produção no país com as de outras nações industrializadas. A iniciativa conta com apoio do Fiep.

O evento será aberto ao público em geral, com transmissão ao vivo. Para saber mais e acompanhar o evento, acesse: sistemafiep.com.br/mesdaindustria.