Pandemia

Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica é parte de rede de laboratórios para diagnósticos PCR para a Indústria

(Foto: Divulgação/Assessoria de imprensa)

Com o apoio do SENAI Nacional e do BNDES, nove laboratórios de biologia molecular foram inaugurados pelo país para apoiar o diagnóstico dos trabalhadores da indústria brasileira e seus dependentes: esta é a Rede Senai de Biologia Molecular. No Paraná, a unidade encontra-se em Curitiba, no Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica, no Campus da Indústria. “A rede foi inicialmente concebida como uma resposta ágil e de curto prazo do Sistema Indústria para aumentar a capacidade nacional de oferta de diagnósticos moleculares (do tipo RT-qPCR padrão ouro), para contribuir com processos de testagem em massa no país, em especial para o setor privado, como ação de suporte à retomada gradual e segura”, explica Alberto Xavier Pavim, coordenador técnico para desenvolvimento tecnológico da rede dos Institutos Senai de Inovação

“No Paraná, o Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica já possuía experiência no desenvolvimento de sensores voltados para o diagnóstico de saúde humana, e estava envolvido na pesquisa para aprimoramento dos kits de diagnóstico sorológicos. Portanto, foi naturalmente considerado para ingressar na rede dos laboratórios de biologia molecular”, conta Filipe Cassapo, gerente do Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica. “Assim, implementamos de forma muito ágil um novo laboratório de biologia molecular para o Estado, cuja primeira e principal missão é realizar diagnósticos moleculares de padrão ouro, ou seja, RT-qPCR para covid-19, voltados ao público industrial: os trabalhadores da indústria e seus dependentes”, completa o gerente.

O Programa Sesi de Prevenção e Orientação à Covid-19 oferta exames de diagnóstico da covid-19 que, além dos preços competitivos, oferece os resultados ágeis, graças à Rede Senai de Biologia Molecular. “No cenário de pandemia, são muitos os desafios das indústrias na retomada e continuidade das atividades: atender a todas as imposições feitas pelos órgãos fiscalizadores, garantir que seus espaços estejam seguros para o funcionamento de suas atividades e manter a produtividade. Nosso objetivo é apoiar as indústrias em todas as etapas”, afirma Rosangela Fricke, gerente executiva de Segurança e Saúde para a Indústria do Sistema Fiep.

Assim, o Sistema Fiep apoia a indústria em toda a jornada de prevenção: na orientação aos trabalhadores e na testagem da população via Sesi e Senai no Paraná. “Procuramos oferecer linhas de atuação que possibilitem a operação segura das empresas, bem como monitorar e preservar a saúde dos trabalhadores. O atendimento é personalizado, garantindo a retomada ou continuidade das atividades nas empresas de forma que a disseminação do vírus seja reduzida, e sempre que possível eliminada, sem que a produção seja interrompida. Além disso, oferece aos trabalhadores o acesso às informações de prevenção para que eles também consigam desempenhar as suas funções de forma a assegurar sua saúde e de seus colegas”, explica Rosangela.

Abertura dos laboratórios exigiu agilidade

No processo de abertura destes novos laboratórios, os Institutos do Senai envolvidos atualizaram suas infraestruturas laboratoriais em tempo recorde, assim como atraíram talentos de distintas áreas (microbiologia, biotecnologia, química, bioinformática, biomédica e farmácia), para poder ofertar às indústrias e à sociedade de forma geral, uma gama customizada e diferenciada de serviços para testagem (sorológica e molecular), bem como serviços de inteligência epidemiológica. Assim, está auxiliando empresas a configurar e atualizar seus protocolos de saúde e segurança com as práticas mais modernas e mais eficientes, no monitoramento e redução das curvas e índices de contágio dentro de suas áreas de operação.

Apesar do foco inicial primordial de atuação ser no setor de saúde e nas problemáticas sanitárias urgentes devido à pandemia da covid-19, os objetivos estratégicos de médio e longo prazo envolvem também pesquisa aplicada. “Estamos nos preparando para atender às inúmeras oportunidades advindas da bioeconomia mundial e um protagonismo que pode ser assumido pela indústria brasileira nestas temáticas por meio do suporte que as competências biotecnológicas desenvolvidas nestes laboratórios podem oferecer. Ou seja, apoiar projetos de pesquisa e desenvolvimento de soluções relacionadas à biologia molecular, engenharia genética, engenharia de fármacos, nanotecnologia e bioinformática, com a ampliação de oportunidades tecnológicas no campo da bioeconomia (química, farmacêutica, cosméticos, médico-hospitalar, veterinária, agronegócio e meio ambiente)”, afirma Alberto.

“Somos um instituto de pesquisa aplicada, e temos portanto a responsabilidade e a oportunidade de desenvolver trabalhos de pesquisa efetivos e úteis para a sociedade, ligados ao desenvolvimento de métodos, sensores, formas de diagnósticos mais rápidas, mais baratas, mais eficientes e mais acessíveis, para necessidades sanitárias. Desta forma, quando a atual pandemia estiver em uma situação menos crítica, o laboratório continuará e ampliará suas atividades, por meio do desenvolvimento de pesquisas aplicadas, que irão melhorar a saúde humana e animal. A ciência, a tecnologia e a inovação são sempre investimentos perenes”, aponta Cassapo.

A Rede Senai BIOMOL

A Rede Senai BIOMOL disponibiliza hoje para as indústrias e para a sociedade nove laboratórios de Biologia Molecular em distintas regiões geográficas do país (SC, PR, MS, RJ, MG, GO, MT, BA), sendo que para a formação destes laboratórios, somam-se os esforços e expertise de 13 diferentes Institutos SENAI de Inovação e de Tecnologia, todos eles apresentando prévia expertise em temáticas correlacionadas com biotecnologia aplicada a diferentes setores econômicos-industriais de grande relevância para a bioeconomia, como Saúde, Agronegócio, Meio Ambiente, Indústria Química/Farmacêutica/Cosméticos, entre outros.

Os recursos de investimento necessários para atualização de infraestrutura laboratorial (obras e equipamentos) e para atender requisitos críticos de biossegurança exigidos pelo Ministério da Saúde para este tipo de atuação foram providos pelo BNDES, por meio do Programa Senai de Apoio à Competitividade da Indústria.

Programa Sesi de Prevenção e Orientação à Covid-19

Além dos diagnósticos moleculares, o Programa Sesi de Prevenção e Orientação à Covid-19 oferece exames sorológicos, ações de treinamento, consultorias e execução de planos de contenção para as indústrias garantirem a segurança dos trabalhadores.

Clique aqui para saber mais.

Sobre o ISI Eletroquímica

Criado em 2013, o Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica (ISI-EQ) foi o primeiro instituto do Senai a ser inaugurado no Brasil. Com infraestrutura laboratorial e recursos humanos altamente capacitados, realiza pesquisas aplicadas à indústria, desenvolvendo projetos de alto impacto industrial, tecnológico e econômico. Atualmente, é uma unidade credenciada pela Embrapii, oferecendo atendimento nas áreas de Baterias, Revestimentos Inteligentes e Sensores Eletroquímicos. Também atua nas áreas de geração e armazenamento de energia; monitoramento e diagnóstico rápido para bioprocessos; e caracterização, monitoramento e controle da corrosão.

senaipr.com.br/tecnologiaeinovacao/nossarede/eletroquímica

Assuntos