Publicidade
Otimismo

Intenção de consumo das famílias paranaenses de maior renda cresce em julho, aponta Fercomércio

O indicador de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), elaborado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), mostra que as classes A e B estão mais dispostas a consumir neste mês. Nesta faixa de rendimentos, o indicador teve alta mensal de 1,7% e marca 118,2 pontos.

O indicador geral de julho está em 104,9 pontos e cresceu 0,5% na comparação com junho. Entre as classes C, D e E, a ICF pontua 102,1 pontos, com ligeira alta de 0,2% em relação ao último mês.  A Intenção de Consumo das Famílias paranaenses está 14,2% acima da pontuação apresentada em julho de 2017 e também está bastante acima da média nacional, que marca 85,1 pontos e teve queda mensal de 1,8%.

O aumento da intenção de consumo entre as famílias de maior renda é decorrente principalmente da melhora dos fatores Nível de Consumo Atual (10,4%) e Perspectiva Profissional (6,7%). Os subcomponentes Emprego atual (4,4%), Renda Atual (2,5%) e Momento para Compra de Bens Duráveis (3,2%) também tiveram alta entre os mais abastados. Nas famílias com renda até dez salários mínimos, apenas os quesitos Emprego Atual (5,1%), Nível de Consumo Atual (7,8%) e Momento para Duráveis (2,9%) tiveram crescimento na variação mensal.

 

Emprego

A parcela de paranaenses que se sente mais segura sobre a situação no emprego aumentou, passando de 37,8% em junho para 41,9%. Já aqueles que acreditam que terão alguma melhora profissional nos próximos meses passaram de 39,7% para 37,8% neste mês.

 

Renda

A avaliação dos paranaenses sobre sua renda decaiu na variação mensal. A parcela que considera que a renda familiar está melhor do que no mesmo período do ano passado passou de 64,1% em junho para 62,7% em julho. Já os que opinam que a renda está pior aumentaram de 6,9% para 7,8%.

Para a maioria dos entrevistados (43,2%), está mais difícil conseguir crédito para comprar a prazo, principalmente entre aqueles com renda até dez salários mínimos (44,7%). Em junho esse percentual era 41,3%.

 

Nível de consumo

A pesquisa mostra ainda que 33,6% dos consumidores estão comprando mais do que no ano passado, enquanto esse percentual era de 27,3% no mês anterior. Já os que estão gastando menos somam 47,4% em julho.

O quesito Perspectiva de Consumo sofreu decréscimo de 4,3% na variação mensal. Ainda assim, a parcela de paranaenses que considera que este é um bom momento para compra de bens duráveis aumentou 3% em julho.

 

 

DESTAQUES DOS EDITORES