Publicidade
Política em Debate

Isolamento

(Foto: Guto Silva foto Dálie Felberg/Alep)

Contrariando a posição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o chefe da Casa Civil do governo Ratinho Jr, Guto Silva (PSD), afirmou ontem, durante a sessão da Assembleia Legislativa, que o Estado vai manter a política de isolamento social para combate ao coronavírus, e reforçou o pedido para que a população fique em casa. “Vislumbramos um longo período de incertezas, mas estamos atentos e seguindo as orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS)”, declarou ressaltando que a estratégia é a mesma.

Sentinela
Segundo o secretário, o programa Sentinela, que monitora diariamente a circulação de vírus, os técnicos do Laboratório Central do Paraná (Lacen), constataram que não há transmissão comunitária do Coronavírus no estado. Guto Silva disse que a previsão do governo é que o pico da epidemia no Estado deve ocorrer entre os meses de abril e maio. “Na próxima sexta-feira, o governador faz um balanço do que nós estamos chamando de primeiro ciclo da doença até aqui, que são os últimos 15 dias. Assim podermos traçar os próximos passos”, explicou.

Repasse
A Assembleia Legislativa anunciou ontem que vai repassar R$ 37 milhões do Fundo Especial de Modernização da Casa (Femalep) ao fundo de saúde do governo do Estado para custear medidas de combate à pandemia do coronavírus. Criado originalmente em 2013, o fundo foi extinto quatro anos depois e teve sua recriação aprovada pelos deputados em junho de 2019.

Destinação
Em dezembro, os deputados regulamentaram o fundo, estipulando que os recursos do Orçamento do Legislativo que não fossem gastos até o final do ano seriam destinados reformas, compra de equipamentos, capacitação de servidores e outros projetos de “modernização” do Legislativo, e não mais devolvidos ao Tesouro estadual. Segundo o presidente da Assembleia, Ademar Traiano (PSDB) o projeto destinando os recursos para a saúde estadual deve ser votado já na semana que vem.

Reforço
O Tribunal de Contas do Estado (TCE/PR) também vai repassar R$ 15 milhões ao governo estadual para o combate ao coronavírus. Os recursos são provenientes do Fundo Especial do Controle Externo, que é composto pelas multas aplicadas a agentes públicos em processos julgados pela Corte.

Politização
O prefeito de Guarapuava, César Silvestri Filho (Pode), criticou ontem a politização da crise do coronavírus. Segundo ele, o combate à pandemia “não é um enfrentamento ideológico entre esquerda e direita”, e politizar a questão seria “reduzir a importância desse momento a uma mediocridade e insignificância absurdas”.

Tentativa e erro
Para Silvestri Filho, “Estamos diante de um fato de impacto global sem precedentes”, e “o mundo todo está, ao mesmo tempo, aprendendo a lidar com essa pandemia: na base da tentativa e do erro”. O prefeito afirmou ainda que “adoraria acreditar naqueles que dizem que é tudo uma bobagem e deveria continuar tudo ao normal”, mas que “a maioria dos especialistas e a experiência internacional contrariam com veemência essa orientação”. “Não há bem maior em jogo que a saúde e a vida. Qualquer erro de análise ou de decisão pode ser uma tragédia. Mais do que nunca, é hora de confiar nas autoridades sanitárias, no trabalho dos especialistas e no compromisso dos gestores responsáveis”, defendeu ele.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES