John Kennedy brilha no Fla-Flu e promete ir além: 'Quero marcar muito mais gols'

O Maracanã vivenciou neste sábado o surgimento de mais um herói. É o garoto John Kennedy, que marcou dois dos três gols do Fluminense em cima do Flamengo na vitória por 3 a 1, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com apenas 19 anos, o jovem atacante já tinha fama de terror para a base do rival, mas agora mostrou também ser fera entre os profissionais.

"Este foi meu primeiro gol em um Fla-Flu, mas espero continuar e marcar ainda muitos gols neste grande clássico", disse ele, ingenuamente, ainda no intervalo. Até gaguejou para encontrar algumas palavras, pela chance de brilhar numa noite de Maracanã. "Sem explicação, é muita emoção. Nem consigo me expressar", dizia, timidamente, bem assustado, talvez, com a fama e o assédio da imprensa.

Mal sabia ele que o destino o colocaria no meio de um cruzamento do companheiro de base Luiz Henrique para marcar o segundo gol no clássico no segundo tempo. Ao final do jogo, ao lado do "parça", o herói da noite parecia mais tranquilo.

"Agora vamos comemorar. O atacante sempre precisa estar preparado para pegar uma bola cruzada ou espirrada. É o que eu faço", explicou com naturalidade.

A garotada da base do Flamengo já sabe muito bem disso. Afinal, Jhon Kennedy já marcou 10 gols em clássicos menores. Tanto que chegou ao duelo com fama de matador. Não decepcionou o técnico Marcão, que não vacilou em escalá-lo com as ausências de Fred e Bobadilla. Já consagrado e cansado, Jhon Kennedy deixou o campo de maca aos 33 minutos para a entrada de Abel Hernández, que aos 39 minutos marcou o terceiro gol.

Luiz Henrique também entrou na parte final de jogo e ficou satisfeito por ajudar o companheiro Jhon Kennedy a brilhar. "Estou muito feliz por ter dado o passe para ele e pela vitória importante que conseguimos. Agora vamos comemorar" concluiu.

Na arquibancada, a torcida tricolor reconheceu o esforço dos jogadores em campo, gritando ao fim do jogo a frase: "Time de guerreiros". E a torcida também não perdeu a chance de tirar uma sarro com Renato Gaúcho, ex-jogador do Fluminense, e agora técnico do Flamengo. "Eô-êo, o Renato é tricolor...".

Um dia da caça, outro do caçador. O Fluminense continua sendo a pedra no sapato do Flamengo. Nesta temporada os rivais se enfrentaram seis vezes, com quatro vitórias tricolores, uma do rubro-negro e um empate.