Feminícidio

Júri do caso Tatiana Spitzner é adiado após advogado de defesa contrair Covid-19

(Foto: Divulgação)

O júri popular de Luis Felipe Manvailer, acusado de ter matado a advogada Tatiane Spitzner, que estava marcado para essa quarta (2)  foi adiado. O pedido foi da defesa do acusado Luis Felipe Manvailer, porque um dos advogados está com Covid-19. Será no dia 25 de janeiro de 2021, às 9 horas. 

O caso, que aconteceu em julho de 2018 em Guarapuava, chocou o país. Aos 29 anos, Tatiane foi morta por esganadura pelo marido e jogada do prédio onde o casal morava, em Guarapuava. Imagens de câmeras de segurança mostram o marido da vítima arrastando seu corpo do elevador para dentro de casa, limpando o local e depois saindo, com outra roupa. As investigações apontaram que Manvailer não chamou por socorro nem avisou a família de Tatiane, que vive a poucos metros do local do crime.

A família de Tatiane Spitzner estava preparada e confiante no resultado condenatório de Manvailler, no entanto, a notícia de contaminação por covid-19 de um membro da defesa de Manvailer foi imprevisível e levou à redesignação da data do júri. Por isso, os familiares e o assistente de acusação, Gustavo Scandelari, da Dotti e Advogados, entendem que o assunto deve ser tratado com a maior cautela possível e seguem confiantes no resultado.