Disponível em Curitiba

Laboratório lança teste que avalia com mais sensibilidade a imunidade contra a Covid-19

(Foto: Itamar Crispin/Fiocruz)

Enquanto acompanha o aumento da taxa de positividade nos exames de RT-PCR (padrão ouro para diagnóstico do SARS-COV-2) e de sorologia, o laboratório Frischmann Aisengart, que integra a Dasa - líder em medicina diagnóstica no Brasil e na América Latina, lança o exame de anticorpo neutralizante: que avalia a presença de anticorpos capazes de neutralizar o vírus SARs-CoV-2.

“Os anticorpos neutralizantes são anticorpos que conseguem conter a multiplicação viral. A comunidade científica tem empenhado esforços para fazer novas descobertas que ajudem a entender melhor o novo coronavírus e seus efeitos no organismo, entretanto, não sabemos ainda a duração dos anticorpos após Infecção. A dosagem de anticorpos, inclusive os neutralizantes, permite avaliar a imunidaderebanho e auxiliar na condução e programação das ações durante a pandemia, explica Myrna Campagnoli, diretora médica do Frischmann Aisengart.

Como funciona: o vírus utiliza a proteína celular ACE2 como receptor, ligando-se a ela através da sua proteína S (Spike). Os anticorpos capazes de impedir esta ligação são caracterizados como neutralizantes.

O papel dos anticorpos

Anticorpos neutralizantes: Anticorpos neutralizantes desenvolvem-se normalmente após um episódio infeccioso e irão conferir proteção ao indivíduo se for re-exposto ao mesmo agente infeccioso. As vacinas também almejam a produção de anticorpos neutralizantes, em títulos até mais altos do que aqueles produzidos após a infecção natural. Portanto, o teste pode ser usado em ambas situações, informando não somente se houve produção dos mesmos, mas também visando qualificá-los como capazes de neutralizar o vírus.

Sorologias IgM, IgG e Anticorpos totais: Detectam anticorpos de fase aguda da infecção (IgM) ou de fase tardia (IgG). O IgM tem mais sensibilidade após o 10º dia de início dos sintomas e os da classe IgG após o 15º dia de início dos sintomas. Como a resposta imunológica na Covid-19 é bastante heterogênea, os anticorpos totais (IgG + IgM) são mais precisos para identificar quem teve contato com o vírus.

Os exames de sorologia disponíveis hoje detectam a presença de anticorpos dos tipos de fase aguda IgM e de fase tardia IgG: indicando, de forma generalista, se o indivíduo teve contato com o vírus no passado, sem saber se esse anticorpo é efetivamente protetor. O anticorpo neutralizante é complementar ao diagnóstico e indica se o paciente está protegido contra as complicações do SARS-COV-2.

O laboratório Frischmann Aisengart detectou aumento de 10% na realização dos exames de sorologia que avaliam os anticorpos da doença nos últimos três meses. Para doutora Myrna esse aumento pode estar atrelado ao número de casos no país e a procura pelo exame daqueles que já tomaram as doses da vacina. “É importante que cada paciente faça uma avaliação médica para que o exame correto seja prescrito além de garantir que seja realizado no período certo. A interpretação pelo médico prescritor também é fundamental para que haja bom uso dessas informações.”, finaliza Myrna.