Publicidade
WhatsApp

Lava Jato nega que procurador seja fonte de reportagens sobre mensagens

Diogo Castor: Diogo Castor: Lava Jato nega que procurador seja fonte de reportagens do Intercept Brasil
Diogo Castor: Diogo Castor: Lava Jato nega que procurador seja fonte de reportagens do Intercept Brasil (Foto: Sandro Nascimento/Alep)

A força-tarefa da operação Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná divulgou ontem nota no qual diz ser “fake news” a informação que estaria circulando “por meio de grupos de whatsapp e publicados em alguns blogs”, apontando que o procurador Diogo Castor de Mattos como “suposto autor de hackeamento de mensagens atribuídas à força-tarefa Lava Jato em Curitiba”. As mensagens trocadas entre o ex-juiz e ministro da Justiça, Sergio Moro e integrantes da Lava Jato, entre eles o coordenador da força-tarefa, procurador Deltan Dallagnol, começaram a ser publicadas no último dia 9 pelo site The Intercept Brasil.

“Tais imputações são absurdas e caluniosas, e estão sendo feitas com base em reportagens antigas contendo mentiras já devidamente rechaçadas anteriormente em notas divulgadas pela assessoria de comunicação do MPF/PR nos anos de 2017 e 2018”, afirma a nota da força-tarefa.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES