Lei de segurança da China fere autonomia de Hong Kong, diz Nancy Pelosi

A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, afirmou nesta quinta-feira, 28, que o presidente da China, Xi Jinping, é um "tirano opressivo". Durante entrevista coletiva, a democrata criticou a lei de segurança aprovada pelo regime chinês, que reduz ainda mais a autonomia de Hong Kong. "Não há outra conclusão a tirar, se a China aprovar essa lei de segurança", afirmou ela, pedindo que não apenas os EUA, mas os demais países pelo mundo se posicionem contra a medida.

Pelosi desse modo se une às críticas a Pequim do presidente americano, Donald Trump, apesar de ambos serem duros rivais na política interna.

Ela qualificou a lei de segurança como um "movimento descarado" da China para se impor sobre Hong Kong. Ela comentou que a região é uma parte importante da "vitalidade" das trocas comerciais que chegam à China continental, o que agora estaria ameaçado.

A presidente da Câmara dos Representantes também afirmou que haveria ao menos 1 milhão de chineses em campos de educação, enquanto criticava Xi Jinping, e também citou o fato de ter sido "destruída a cultura e a língua" do Tibete.

Segundo Pelosi, com a lei de segurança, não será possível saber se haverá autonomia em Hong Kong. A autoridade mencionou ainda o fato de que pode haver sanções do governo americano contra chineses envolvidos no assunto.