Publicidade
Nala e Leona

Leoas do Zoo completam 13 anos com atividade para ativar instintos selvagens; veja o vídeo

(Foto: Reprodução/SMCS)

As leoas Nala e Leona comemoraram o 13º aniversário no Zoológico de Curitiba, nesta quarta-feira (23/10), e ganharam uma festa especial. Um dos presentes foi uma atividade de enriquecimento olfativo, com o objetivo de ativar instintos de vida selvagem nas duas felinas.

A atividade foi acompanhada por um grupo de estudantes da Escola Municipal Monsenhor Boleslau Falarz, de Santa Felicidade. Na ação, um protótipo de girafa foi embebido em vinagre.

“Os felinos têm um olfato muito desenvolvido e ideia é estimulá-las a interagir com o objeto e mostrar aos visitantes a reação das duas ao cheiro”, explicou a chefe da Educação Ambiental do Zoo, Cláudia Bosa.

A criançada ficou atenta aos movimentos das duas leoas, que foram soltas no recinto após a instalação do protótipo. Entre a falsa girafinha e as duas leoas, a torcida era para que as duas aniversariantes abocanhassem o presente.

“São as leoas que caçam, não os leões”, disse o pequeno Adryan, 6 anos, mostrando que aprendeu com as orientações da equipe do Zoo.

Nala e Leona, a princípio, não deram muita atenção ao brinquedo, mas depois de alguns minutos, o cheiro do vinagre atraiu Leona, que, sorrateiramente, se aproximou da peça e a levou embora.

“Elas respondem bem a esses jogos que costumamos propor. Foi a primeira vez que tentamos apenas com um odor, sem um prêmio como um pedaço de carne”, contou o médico veterinário Manoel Lucas Javorouski.

Cuidados e longevidade
As duas aniversariantes, apesar de estarem entrando na adolescência para padrões humanos, já estão em idade avançada no mundo dos felinos. Aos 13 anos, se estivessem vivendo na natureza, provavelmente teriam dificuldades para caçar.

“É bastante raro encontrar animais dessa espécie nessa faixa etária na vida selvagem, onde a sobrevida de 15 anos é bastante rara”, calcula Javorouski.

Com os cuidados que recebem no Zoológico de Curitiba, contudo, a tentência é que vivam muito além do esperado para as suas espécies, além de ajudarem a ensinar crianças e adultos sobre conservação. As duas têm alimentação baseada em carne, uma média de quatro quilos diários para cada uma, em um mix de carne bovina e carne branca.

Além da alimentação balanceada, recebem cuidados veterinários e odontológicos constantes. As duas nasceram fora da natureza e são filhas de Simba, que completou, em março, 17 anos como morador do Zoo e que chegou à unidade de conservação em 2002.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES