Funcionalismo

Líder do governo admite discussão sobre fim da licença-prêmio de servidores

Bakri: segundo líder do governo, Estado acumula dívida de mais de R$ 1 bilhão com licenças-prêmio de servidores
Bakri: segundo líder do governo, Estado acumula dívida de mais de R$ 1 bilhão com licenças-prêmio de servidores (Foto: Pedro de Oliveira/Alep)

O líder da bancada do governo Ratinho Júnior na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri (PSD), admitiu hoje que a atual gestão está discutindo a possibilidade de extinção da chamada “licença-prêmio” dos servidores públicos estaduais. Ele reafirmou, porém, que, por enquanto, não há nenhuma decisão sobre o assunto. Bakri alegou que o governo acumula uma dívida de mais de R$ 1 bilhão com o pagamento de licenças-prêmios não gozadas pelos servidores.

Atualmente, por lei, os funcionários públicos estaduais têm direito a três meses de licença remunerada a cada cinco anos trabalhados. Quando não tiram essa licença, eles podem receber o equivalente em dinheiro. Na semana passada, surgiu a informação de que o governo pretendia propor o fim do benefício, em troca do reajuste salarial do funcionalismo, que está com os vencimentos congelados há três anos, e acumula perdas de cerca de 16% em relação à inflação do período. A data-base para a reposição salarial anual dos servidores públicos estaduais vence em 1º de maio.

“A questão da licença prêmio está sendo objeto de discussão sim, porque existe um passivo de mais de R$ 1 bilhão para colocar em ordem”, confirmou o líder governista.

Leia mais no blog Política em Debate