Publicidade
'Aedes aegypti'

Lixo doméstico vira o principal criadouro do mosquito da dengue no Paraná

Agentes de saúde procuram focos do Aedes
Agentes de saúde procuram focos do Aedes (Foto: Divulgação/ANPr)

A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná divulgou, nesta terça-feira (3), o Boletim Epidemiológico sobre a dengue no Paraná, com destaque para o Levantamento Rápido de Índices de Infestação nos municípios. O LIRA mostra a porcentagem entre o número de imóveis pesquisados e o de imóveis onde os criadouros do mosquito foram encontrados.

O levantamento mostra que 72,9% dos criadouros estão nos domicílios. Segundo o estudo, 43% dos criadouros foram localizados em recipientes plásticos, garrafas e latas, acumulados destampados nos quintais das residências e em entulhos de construção, caçambas e latas de tintas também deixadas abertas nos quintais.

Outros 23,5% estão nos depósitos de água a nível do solo e 22,6% estão nos pratinhos de vasos de plantas, recipientes de degelo de geladeiras, bebedouros, pequenas fontes ornamentais.

O estudo mostrou que 7,3% foram encontrados em pneus e 5,3% em tanques em obras, borracharias e hortas; calhas lajes e toldos em desníveis, ralos de sanitários em desuso, piscinas não tratadas, cacos de vidro em muros e floreiras e vasos nos cemitérios.

O boletim semanal da dengue registra 1.869 casos confirmados, 305 a mais que na semana anterior. Deste total, 1.480 são autóctones - contraídos no município de residência.

Também aumentaram os municípios em situação de alerta; eram dez e agora são doze. Cianorte e Doutor Camargo entraram para situação de alerta nesta semana.

Curitiba
O segundo Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (LIRAa) deste ano mostra que Curitiba tem 0% de infestação pelo mosquito. O mapeamento realizado em novembro pela Secretaria Municipal da Saúde faz parte das ações do programa Curitiba Sem Mosquito.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES