Publicidade
Emergência

Lotado, Hospital Pequeno Príncipe fecha pronto-atendimento pelo SUS

(Foto: Arquivo Bem Paraná)

A unidade de urgência e emergência do Hospital Pequeno Príncipe (HPP), suspendeu os atendimentos para pacientes do SUS desde as 19 esta terça (7) devido ao excesso de pacientes. A espera por atendimento chegou a sete horas e, segundo a assessoria do hospital, há cerca de 14 crianças que precisam ser internadas e não há leitos. "O hospital está operando em capacidade máxima", diz a nota encaminhada pela assessoria. Não há previsão para o fim da suspensão. Os outros serviços funcionam normalmente e as crianças internadas estão tendo o atendimento de sempre. É  a terceira vez em duas semanas que a instituição teve de interromper o serviço diante do mesmo impasse.

Durante a terça, foram 650 consultas de emergência pelo SUS e convênios, quando o normal são no máximo 100 crianças por dia. Não há falta de médicos, mas excesso de pacientes. Segundo o informações do hospital, cerca de 80% dos atendimentos feitos nos pronto-atendimentos poderiam ser resolvidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) ou com consulta eletiva com pediatras. 

O HPP orienta que atendimentos de urgência e emergência são prioritários em casos de quedas bruscas; cortes profundos; afogamentos; ingestão de corpos estranhos; desmaios e crises convulsivas; febres altas e incessantes; e desidratação.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a orientação para casos de urgência e emergência, é procurar uma das 9 Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs). "Os hospitais não são porta de entrada para urgência e emergência", diz a secretaria.

Posicionamento do HPP

Em nota encaminhada ao Bem Paraná, o Hospital destacou que não é uma unidade de busca direta pela população, mas uma instiotuioção de alta complexidade e de retaguarda para Curitiba e Região Metropolitana que mantém um Pronto Atendimento (PA) destinado aos casos de maior gravidade encaminhados pelas UBS e UPAs.

O fechamento do Pronto Atendimento SUS, oontem, se deveu à superlotação do hospital. "Apesar da situação incomum no PA, a instituição mantém o atendimento aos pacientes internados com todas as rotinas de segurança, equipes e condições técnicas, mantendo o atendimento em alta complexidade. No fim deste mesmo dia 7, por exemplo, a instituição realizava três transplantes simultaneamente – 2 de rim e um de coração. Poucas instituições no país têm estrutura para realizar simultaneamente, três transplantes", destaca a instituição.

Confira na íntegra a nota do HPP

O Hospital Pequeno Príncipe é uma instituição privada, sem fins lucrativos, credenciada para prestar serviços ao Sistema Único de Saúde (SUS). A instituição segue os critérios definidos pelo Ministério da Saúde. Não é uma unidade de busca direta pela população.

O Pequeno Príncipe é um hospital de alta complexidade e de retaguarda para Curitiba e Região Metropolitana. A instituição mantém um Pronto Atendimento (PA) destinado aos casos de maior gravidade encaminhados pelas UBS e UPAs.

O fechamento do Pronto Atendimento SUS nesta terça-feira, dia 7, se deve à superlotação do Hospital; ou seja, a falta de disponibilidade de vagas para novas internações. A abertura da unidade está vinculada à disponibilidade de vagas hospitalares, preservando todas as medidas de segurança ao paciente . Apesar da situação incomum no PA, a instituição mantém o atendimento aos pacientes internados com todas as rotinas de segurança, equipes e condições técnicas, mantendo o atendimento em alta complexidade. No fim deste mesmo dia 7, por exemplo, a instituição realizava três transplantes simultaneamente – 2 de rim e um de coração. Poucas instituições no país têm estrutura para realizar simultaneamente, três transplantes.

O Pequeno Príncipe é o maior hospital pediátrico do Brasil e conta com 370 leitos. Nos últimos anos, infelizmente, milhares de leitos pediátricos foram fechados no país, sendo 906 no Paraná e 62 só em Curitiba, segundo Conselho Federal de Medicina. O Pequeno Príncipe manteve todas as acomodações e vem melhorando a estrutura oferecida para garantir mais segurança aos pacientes.

Vale lembrar que o Hospital é uma unidade para o atendimento aos pacientes graves, por isso, é muito importante que os responsáveis levem seus filhos regularmente aos consultórios dos pediatras (para usuários de convênio) e às Unidades Básicas de Saúde da sua região (para usuários do SUS).

Esclarecemos que, seguindo as regras de funcionamento do Sistema Único de Saúde, os pacientes atendidos no Pronto Atendimento SUS deverão ser encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde (postos de Saúde) ou Unidades 24 horas. Em média, apenas 3% dos pacientes que chegam ao Pequeno Príncipe vêm com esse encaminhamento.

O Hospital Pequeno Príncipe pede o apoio e conta com a compreensão da população para que busque uma dessas unidades que, se necessário,encaminhará ao Pequeno Príncipe os casos graves ou que precisarem de atendimentos especializados.

O Pequeno Príncipe reafirma seu papel de proteção e defesa da vida das crianças e adolescentes e, há 100 anos, dedica seu conhecimento e energia para oferecer atendimento de qualidade, respeito e dignidade.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES