Publicidade

Lula: PT não pode aceitar prevalência do discurso conservador

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que o PT "não pode aceitar a prevalência do discurso conservador" e criticou quem afirma que não se deve ensinar sobre sexualidade nas escolas públicas brasileiras. Para Lula, a historiografia oficial está comprometida com versões incorretas ou incompletas de fatos e importantes do Brasil, e citou a Cabanagem, Duque de Caxias e Zumbi dos Palmares como exemplos. As falas de Lula se deram em entrevista ao blog Nocaute.

O presidente também citou o aborto como exemplo no qual se opõe, ainda que parcialmente, ao posicionamento conservador. Para Lula, "um presidente da República não pode cuidar do aborto. Eu, pessoalmente, sou contra, mas como chefe de Estado você tem que tratar o aborto como questão de saúde pública". Segundo o petista, "as mulheres pobres ficam furando o útero com agulha de tricô, enquanto a madame vai para Paris fazer um aborto".

Bolívia

O ex-presidente afirmou que foi contrário à tentativa do ex-presidente boliviano Evo Morales de se perpetuar no poder por meio de um quarto mandato. Segundo Lula, "nenhum partido pode achar que vai governar para sempre" e é importante ter em mente que "alternância é importante para a democracia". "Eu dizia para o Hugo Chávez: quando é que você vai achar um sucessor? A gente não pode achar que é imprescindível. Quando a gente começa a achar isso, está nascendo dentro de você um ditadorzinho, e isso é perigoso", disse o petista.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES