Duplo homicídio

Mãe mata os dois filhos sob alegação de que passavam necessidade; veja video

Uma mãe de 25 anos matou os dois filhos de 7 e 10 anos na noite dessa segunda-feira (9) na colônia de Santa Bárbara, município de Palmeira, interior do estado. Delci de Amaral confessou o duplo homicídio alegando que as crianças passavam necessidade e não tinha comida para oferecer aos filhos. As crianças foram mortas com uma pancada na cabeça e depois com um punhal. O marido de Delci negou que a família passasse qualquer tipo de necessidade.

De acordo com a Polícia Militar, depois do crime a mãe disse ao marido que a casa tinha sido invadida por homens que teriam matado seus filhos. Depois, Delci disse que o marido tinha matado e já na delegacia confessou a autoria dos homicídios.

Eu chamei primeiro a menina para fora e disse que era pra ela morder um pedaço de pano (usado como mordaça). Eu disse ‘morde pra mamãe’ e depois eu fiz ela virar de costas para mim. Dei uma pancada com uma barra de ferro e depois duas facadas, disse Nelci em depoimento à polícia. Para atrair o garoto mais velho, a mãe disse que elas estavam brincando de esconde-esconde. Fiz a mesma coisa com o menino. Também em depoimento, Delci disse que premeditou o crime desde à tarde desta segunda-feira.

Ela jogou o corpo das crianças em uma valeta próximo a casa da família e correu para dentro de casa lavar as mãos sujas de sangue. O marido dela chamou a polícia ao acreditar que havia outra pessoa na casa.

Versão - O marido de Delci, um senhor de 67 anos, disse que ela nunca queria sair com as crianças. Ela saia de tarde e saia de noite e as crianças só ficavam comigo. Ela sempre saia sozinha pra festa, baile. Ela era muito agressiva. Qualquer coisa ela dizia ‘vou te matar’. Eu tinha medo dela.

O homem, que não é pai legítimo das crianças, disse que estava deitado e não ouviu barulhos estranhos. Quando eu ouvi um barulho, vi ela caída no banheiro pedindo socorro, se batendo, dizendo que tinha alguém na casa, disse o marido de Delci. De acordo com ele, as crianças nunca passaram necessidade. Não faltava comida para as crianças. Não faltava nada, finalizou.

Banda B