Porto

Maior helicóptero executivo do mundo desembarca em Paranaguá

O Porto de Paranaguá recebeu uma carga inédita nesta semana: o maior helicóptero bimotor executivo do mundo, medindo 15 metros de comprimento e pesando mais de 12,4 toneladas, desembarcou no Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP).

O helicóptero modelo Airbus H175 terá suas hélices instaladas em Paranaguá e vai decolar diretamente do cais do porto para o Rio de Janeiro, onde será exposto em uma feira. A carga veio diretamente do porto de Houston, no Texas (EUA) a bordo do supercargueiro Ro-Ro, modelo que permite o embarque ou desembarque de cargas com rodas. A aeronave aguarda a liberação da Receita Federal para levantar voo, que deve acontecer até o dia 26.

O diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino, disse que o Porto de Paranaguá está preparado para receber cargas especiais. Estamos investindo pesado na modernização da estrutura portuária. Com isso, cada vez mais cargas de grande dimensão e peso chegam por Paranaguá.

O helicóptero foi içado por meio de uma rampa, localizada na popa da embarcação e transferido para uma área externa, onde recebeu a hélice principal e passou pelos testes necessários para seu funcionamento.

O helicóptero está em uma turnê mundial de apresentação. Ele já passou por diversas cidades dos Estados Unidos e do México. No Brasil, apesar de ficar exposto por alguns dias no Rio de Janeiro, a porta de entrada e saída escolhida no país foi o Porto de Paranaguá. Depois da feira, a aeronave volta para o porto paranaense para embarcar para a Europa.

CARGAS ESPECIAIS – Entre as cargas especiais descarregadas pelo Porto recentemente estão 80 peças para a o projeto Puma da Klabin, que totalizavam 600 toneladas. A fábrica vai produzir 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano. A previsão é que a planta comece a funcionar em 2016.

Além disso, o Porto de Paranaguá também foi escolhido para ser a porta de entrada de uma remessa de quatro tanques de guerra importados da Alemanha para o Exército Brasileiro. A frota era composta por duas viaturas blindadas de 39,2 toneladas, uma viatura especializada de engenharia de 43 toneladas e um lança-pontes de 35,1 toneladas.

No sentido contrário, o porto foi usado recentemente para a exportação de pás eólicas de 56 metros de comprimento. As peças foram produzidas no interior de São Paulo e enviadas para os Estados Unidos.