Sondagem para o fim de ano

Maioria dos comerciantes do Paraná não vai contratar temporários

Papai Noel de shopping: em 2020, atrás de vidraça
Papai Noel de shopping: em 2020, atrás de vidraça (Foto: Ricardo Deverson/GM)

Uma consulta realizada pela Associação Comercial do Paraná (ACP) junto a centenas de associados de vários segmentos do varejo mostra que eles estão cautelosos quanto ao desempenho da economia nos próximos meses.

O principal objetivo da pesquisa foi identificar as tendências sobre contratações temporárias para o período de Natal, principal data do comércio. Só 24% informaram que abrirão vagas para as vendas de fim de ano, contra 76 que, pelo menos até agora, não vão contratar.

Dos que pretendem contratar, 75% acreditam que o número de temporários deverá ser no máximo 10% maior do que no ano passado.

Mesmo sem a previsão de ampliar o quadro, a maioria dos consultados se declara otimista com relação às vendas no próximo Natal: 69%. Se declararam pessimistas 10%; estão indiferentes (sem um sentimento claro) 21%. Sobre a expectativa em relação às vendas, 30% esperam que seja menor do que em 2020 e 70% esperam crescimento.

Do total de consultados, 53% informaram que ainda não recuperaram os níveis de venda pré-pandemia, enquanto 36% já recuperaram e 11% disseram que não foram afetados.

A sondagem também indagou qual o sentimento em relação à economia do país: 45% se disseram otimistas, 38% pessimistas e 17% não sabem. À pergunta “qual sua maior preocupação em relação à economia, 38% citaram a situação política do país e 38% a inflação.

O Natal do ano passado, por conta da pandemia, foi um dos piores jamais registrados. Em média, houve queda de mais de 10% em relação ao ano anterior, antes da pandemia.

A maioria dos empreendimento precisou se adaptar, vendendo remotamente ou no sistema de drive thru. O comércio online, contudo, conseguiu se sair melhor.