Publicidade
Treinamento

Mais agentes são capacitados para portar pistola .40

(Foto: Divulgação/Depen)

A Escola de Formação e Aperfeiçoamento Penitenciário - ESPEN realizou mais uma etapa do Curso de Formação de Habilitação da Pistola .40 para agentes penitenciários do Depen (Departamento Penitenciário do Paraná) das regionais administrativas de Cascavel e Ponta Grossa.

Nos Campos Gerais a instrução aconteceu entre os dias 13 e 16 de agosto e capacitou 44 agentes penitenciários. O curso foi ministrado por um servidor devidamente qualificado. Ele é integrante do SOE (Setor de Operações Especiais) do Depen-PR.

Em Cascavel cerca de 80 agentes estão participando da capacitação, nesta semana, que inclui instruções teóricas e práticas. O curso também é ministrado por agentes do SOE. Todos os servidores passaram por avaliação psicológica, para só então receberem a pistola adquirida pelo Estado.

O Curso de Formação da Pistola .40 é de fundamental importância para a modernização do Sistema Penitenciário do Paraná. A profissão, por ser considerada de alto risco, exige o porte de arma para a defesa pessoal e da família do servidor.

"O curso superou todas as expectativas. Os instrutores demonstraram uma capacidade impressionante de transmissão do conhecimento que, aliado à dedicação dos alunos, formou agentes penitenciários preparados para o uso do armamento”, explicou o coordenador regional de Ponta Grossa, Luiz Francisco da Silveira.


Avanços no sistema

A regulamentação do porte de arma para os agentes penitenciários do Estado do Paraná foi definida em 2015. A demanda era uma reivindicação da categoria e representa os avanços do sistema prisional.

O Estado adquiriu 2.800 pistolas modelo TH 40 Hummer, por meio de licitação. A vencedora do certame foi a empresa Taurus e o investimento chega a R$ 6,9 milhões.

“A pistola .40 adquirida pelo Estado, será entrega aos agentes penitenciários, capacitados no curso, na modalidade de cautela, ou seja, os servidores poderão ficar com ela fora do horário de trabalho para a própria proteção e segurança”, explica o coordenador regional de Cascavel, Thiago Correia.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES