Presidente

Mais de 50 milhões de americanos já votaram para presidente

(Foto: Reprodução/White House Site)

Mais de 50 milhões de americanos já votaram antecipadamente nas eleições de 3 de novembro nos Estados Unidos, nas quais o presidente Donald Trump enfrenta o democrata Joe Biden - aponta um balanço divulgado nesta sexta-feira, 23, pelo grupo de monitoramento US Elections Project.

Este ano, o voto antecipado marcou um recorde pela pandemia. De acordo com esta contagem feita pela Universidade da Flórida, mais de 35 milhões de pessoas já votaram por correio, e 15 milhões foram depositar presencialmente a cédula em postos autorizados.

Este número já supera o total de votos emitidos de forma antecipada em 2016, que somaram 47 milhões, e corresponde a 36,5% do total da participação deste ano, em torno de 138 milhões de pessoas.

A votação antes do dia da eleição foi ampliada este ano por causa da pandemia do novo coronavírus, uma opção que mais de 60% dos eleitores registrados desejam, de acordo com uma pesquisa do Washington Post-University of Maryland em setembro.

Enquanto alguns Estados do oeste americano há muito conduzem suas eleições pelo correio, outros, como New Hampshire, estão permitindo que todos os eleitores votem pelo correio pela primeira vez. Vários Estados importantes - como Wisconsin, Arizona e Iowa - expandiram bastante a votação por correspondência, elevando para 12 o número de Estados que agora enviam inscrições de ausência para todos os registrados.

Os democratas esperam que esta energia leve a uma vitória decisiva em 3 de novembro. Os democratas registrados estão vencendo os republicanos por uma grande margem em Estados que fornecem análises partidárias das votações antecipadas.

A questão crítica para os democratas é se essas cédulas iniciais de 2020 são eleitores adicionais ou apenas pessoas que teriam votado no dia da eleição de qualquer maneira.

Os republicanos, no entanto, são mais propensos a dizer às pesquisas que pretendem votar pessoalmente, e o Partido Republicano está contando com uma parcela esmagadora dos votos do dia da eleição para Trump.

O presidente denuncia, com frequência e sem provas, que este processo pode gerar fraude. Ele garante que seus eleitores vão se deslocar em massa em 3 de novembro para rebater as pesquisas que continuam a dar a liderança a seu rival Joe Biden.

Mesmo com tantas cédulas já lançadas, não é definitivo que uma votação antecipada sem precedentes se traduzirá em uma participação eleitoral que ultrapassará o número historicamente alto de votos dados em 2016: 139 milhões.

É possível que, quando a poeira baixar depois de 3 de novembro, o número de americanos que votaram seja semelhante ao número das eleições presidenciais anteriores, embora eles tenham usado métodos diferentes. (Com agências internacionais).