Pandemia

Mais de 71 mil paranaenses estão em atraso para a 2ª dose de vacina da Covid-19

Ministro insiste que pessoas procurem se vacinar com a segunda dose
Ministro insiste que pessoas procurem se vacinar com a segunda dose (Foto: Pedro Ribas/SMCS)

O Ministério da Saúde divulgou ontem a lista dos estados com pessoas que estão em atraso para tomar a segunda dose de vacinas contra a Covid-19. Ontem, o titular da pasta, Marcelo Queiroga, disse que há 1,5 milhão de brasileiros nessa situação, e alertou que essas pessoas precisam buscar os postos de vacinação. Com informações da Agência Brasil.

O estado com mais pessoas em atraso é São Paulo (343.925), seguido da Bahia (148.877), Rio de Janeiro (143.015), Rio Grande do Sul (123.514), Minas Gerais (89.122) e Paraná (71.857).

Os estados com menos doses em atraso são Amapá (5.741), Tocantins (6.033), Acre (6.191), Alagoas (7.625) e Roraima (8.555).

Segundo o ministro, mesmo quem perdeu o prazo previsto no cronograma de vacinação deve procurar uma unidade de saúde para regularizar a situação.

A grande maioria dos atrasos está em doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

No total, 1.514.340 doses do imunizante estão em atraso, sendo 287 da Oxford/AstraZeneca, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Até ontem, o vacinômetro da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná mostrava que já haviam sido vacinadas 1.328.164 pessoas com a primeira dose e 353.609 com a segunda dose.

Curitiba

Em Curitiba, 97% das pessoas comparecem aos pontos de vacinação para receber a segunda dose do imunizante que completa o ciclo de proteção contra a Covid-19.

Pelo levantamento da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, das 74.442 pessoas que estão dentro do prazo para a segunda aplicação, apenas 2.438 ainda não compareceram a um ponto de vacinação da cidade. O número pode ser ainda menor, pois metade dos faltantes é profissional de saúde que pode ter tomado a segunda dose em outro município.

Domingo a domingo

Pelo menos 10,7% das vacinas contra a Covid-19 aplicadas nos paranaenses foram administradas durante os finais de semana da campanha Vacina Paraná de Domingo a Domingo. Um levantamento de dados da secretaria estadual de Saúde aponta que das 1.657.658 primeiras e segundas doses administradas no Estado até a manhã de ontem, pelo menos 177.285 foram relativas aos finais de semana.

Segundo o Vacinômetro, 92,5% das primeiras doses distribuídas pelo Estado já foram aplicadas, totalizando 1.326.693 paranaenses imunizados. Já as segundas doses chegam a 351.497 aplicações, o correspondente a 35,7% do que já foi recebido.

Prefeitura lança auxílio alimentar de R$ 70 para 35 mil famílias curitibanas

A Prefeitura lançou, ontem, um auxílio alimentar no valor mensal de R$ 70 para garantir refeições dignas a 35 mil famílias em situação de extrema pobreza e risco social em Curitiba. O valor será utilizado para adquirir alimentos nos Armazéns da Família.

O crédito alimentar será oferecido, inicialmente, por três meses, podendo ser estendido por mais 90 dias. Assim, em seis meses, a distribuição poderá chegar a 210 mil auxílios alimentares. O auxílio alimentar começou a ser disponibilizado ontem. Os beneficiados são as famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico).

As famílias beneficiadas estão sendo comunicadas do auxílio alimentar pelos Centro de Referência da Assistência Social (Cras).

A iniciativa do munícipio é uma ação conjunta da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN), da Fundação de Ação Social (FAS) e da Secretaria Municipal de Finanças. O custo por seis meses do programa é de R$ 12,6 milhões, bancado com recursos próprios.

Caso haja famílias que ainda não fazem parte do CadÚnico, mas precisam do auxilio alimentar, elas devem procurar o Cras da sua região para se inscrever.

As 35 mil famílias beneficiadas irão adquirir os alimentos com o crédito em uma das 34 lojas do programa Armazém da Família.

Quem tiver direito ao benefício será inscrito no sistema dos Armazéns da Família, com base na relação encaminhada pela FAS por meio do Cras.

Para comprar os alimentos, um responsável da família precisará apenas se dirigir a um dos armazéns levando o CPF e um documento com foto. O crédito terá validade por 30 dias, a partir da data do seu carregamento.

Com os R$ 70 do auxílio alimentar será possível adquirir nos Armazéns da Família, por exemplo, uma cesta básica com 13 itens. Com o crédito também será possível comprar itens de higiene e limpeza. Os itens a serem adquiridos, no entanto, são inteiramente de escolha do beneficiado.

Informações sobre o auxílio e quem tem direito ao benefício podem ser obtidas na Central de Cadastro dos Armazéns da Família, telefone (41) 3350 3890.