Pandemia

Maternidade se transforma para receber pacientes de coronavírus

(Foto: Franklin de Freitas)

A Maternidade Victor Ferreira do Amaral, no Água Verde, vai virar hospital exclusivo para tratamento das vítimas de Covid-19 em Curitiba graças a um convênio entre a o Complexo Hospital de Clinicas (HC) e a Secretaria de Estado da Saúde. Segundo a superintendente do HC, Claudete Reggiani, a maternidade deve abrir 40 leitos de enfermaria já a partir da semana que vem. O atendimento às gestantes foi transferido para a sede do HCPR, no Alto da Glória.

“Já temos contrato emergencial que disponibiliza 66 vagas de UTI para Covid na sede do HC, sendo 61 adulto e cinco infantil temos a possibilidade de chegarmos a 178 vagas. Estamos chegando a 100 vagas aqui no HC e semana que vem 40 vagas na Maternidade”, explicou Cláudia.

Segundo ela, o primeiro edital para convocação de mais 80 trabalhadores de saúde já foi publicado pela Rede Ebserh (HU-Furg/Ebserh), que gerencia o HC. Outras 80 vagas devem ser abertas nos próximos dias. O prédio da Maternidade Victor Ferreira do Amaral está com as obras aceleradas. “A enfermaria é muito importante porque o paciente que chega com Covid-19 geralmente vai para a enfermaria e aqueles que vão para UTI mais graves depois retornam para a enfermaria, então a demanda é muito alta”, disse a superintendente.

O acordo atual foi possível porque, como as cirrugias eletivas de ginecologia foram canceladas por conta da pandemia e economia de insumos, um espaço fisico no setor de maternidade e saúde do HC ficou livre. O contrato emergencial é de pelo menos seis meses a dois anos.

A Maternidade Victor Ferreira do Amaral é a mais antiga do Paraná. Ficou mais de uma década fechada e foi reativada no ano de 2001, graças a uma parceria entre a Prefeitura Municipal de Curitiba e a Universidade Federal do Paraná. De lá para cá ,a Maternidade Victor Ferreira do Amaral vem sendo administrada pela UFPR em parceria com o Governo do Estado e a Prefeitura de Curitiba.