Repercussão negativa

MEC recua sobre retomada de aulas presenciais nas universidades federais

(Foto: Franklin de Freitas)

Após repercussão negativa, o Ministério da Educação (MEC) revogou na tarde desta quarta (2) a Portaria 1030, publicada pela manhã, determinando o retorno às aulas presenciais nas universidades federais a partir de 4 de janeiro de 2021. A ideia do ministro Milton Ribeiro agora é realizar uma consulta pública para ouvir o mundo acadêmico antes de tomar nova decisão.

Universidades de todo o Brasil criticaram a portaria e anunciaram a sua recusa de voltar a trabalhar presencialmente.  Em  entrevista à CNN,  o ministro disse que não esperava tanta resistência. “Quero abrir uma consulta pública para ouvir o mundo acadêmico. As escolas não estavam preparadas, faltava planejamento”, afirmou.

Entre os protestos, a Universidade de Brasília (UNB) criticou em Nota a portaria do MEC ordenando a flexibilização. Segundo a UNB, uma das principais do país, a pandemia “ainda não deu sinais de arrefecimento – pelo contrário” e seria um ato em contramão de novas medidas de restrição “em um momento de aumento das taxas de contaminação pelo coronavírus em diversos estados e no Distrito Federal”. Os reitores das universidades federais já tinham marcado reunião online para discutir a nova portaria do Ministério da Educação (MEC) para o retorno das aulas presenciais a partir de 4 de janeiro do 2021.  A discussão aconteceria dentro do fórum da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).