Médico acusado de fraudar cartão ponto é afastado

Preso na manhã de terça-feira (5) acusado de fraudar o cartão ponto de uma Unidade Básica de Saúde em Cascavel, o médico Jetson Luiz Franceschi foi afastado preventivamente de suas funções na unidade de saúde.

O médico conseguiu liberdade provisória na quarta-feira (6), após passar uma noite isolado em uma área da carceragem da delegacia – ele não chegou a ser colocado em uma cela. Ontem, o advogado do ginecologista chegou a protocolar o pedido de exoneração, negado porque a prefeitura já havia aberto processo administrativo disciplinar contra ele.

Segundo investigações feitas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde da Câmara Municipal de Cascavel, Franceschi trabalhava menos de uma hora por dia, sendo que sua carga horária era de três horas. O médico recebia R$ 2.538,00 por mês para atender no posto de saúde e outros R$ 14,7 mil por expediente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

A Comissão Processante é composta por três servidores municipais de provimento efetivo (concursados) e tem 30 dias para concluir os trabalhos. Além de Franceschi, também foi afastada a coordenadora da Unidade Básica de Saúde do Bairro Faculdade, Roseli Dietrich, que responderá processo administrativo disciplinar junto com o médico.