Caxias do Sul

Médico é afastado e pede demissão após cobrar vacinação de treinador de futebol

Rafael Lessa, médico do Caxias, pediu demissão nesta quinta-feira após cobrar que o técnico Rafael Jacques se imunizasse contra o novo coronavírus. Lessa acabou afastado da equipe e decidiu por abandonar o cargo.

"Fui comunicado pelo presidente e pelo vice presidente do Departamento Médico da S.E.R. Caxias, que foi exigido pelo gerente de futebol e pelo técnico, Rafael Jacques, que eu não realizasse mais jogos pelo clube. Na verdade, nas palavras do Paulo César Santos (presidente da equipe), a quem nutro respeito, carinho e amizade, foi dito: 'Eles me chamaram no quarto do hotel, viram sua postagem com a cobrança e disseram que não querem mais que você faça os jogos'", revelou o médico em comunicado.

No mês de agosto, o técnico Rafael Jacques contraiu a covid-19 e ingressou em um hospital na capital gaúcha, Porto Alegre, para tratamento. Por lá, ficou cinco dias internado e perdeu alguns jogos do Caxias no período. Ele ainda não havia tomado a vacina. Rafael Lessa diz que queria, inclusive, que o treinador ficasse afastado por mais tempo, fato que não foi atendido.

"A determinação, com base no documento e no perfil de sua internação, de que o treinador deveria ampliar o isolamento até completar 20 dias, foi recebia como uma afronta ou um desejo de prejudicar a equipe", explica o médico em nota.

Entre os jogos com a Portuguesa, pela segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro, o técnico foi perguntado se já havia iniciado seu processo de imunização. Jacques, no entanto, preferiu não responder. Mais tarde, foi às redes sociais, dizendo que tinha tomado a vacina em 14 de setembro.

O Caxias está classificado para as oitavas de final e enfrentará o União Rondonópolis. A primeira partida acontece no sábado, às 16h, no estádio Centenário de Caxias do Sul.