Publicidade
Quebra-crânio

Médicos alertam para riscos de 'desafio da rasteira' entre adolescentes

"Desafio da rasteira" pode terminar em traumas no crânio e na coluna
"Desafio da rasteira" pode terminar em traumas no crânio e na coluna (Foto: reprodução/You Tube)

"É um absurdo". Desta forma, o neurocirurgião Adriano Maeda classifica o "desafio da rasteira" ou o "desafio do quebra-crânio", uma prática que viralizou recentemente nas redes sociais e que mostra adolescentes tentando derrubar uns aos outros. A "brincadeira" rendeu alertas de profissionais de saúde porque podem causar sérios danos à saúde. O "desafio da rasteira" pode terminar em traumas no crânio e na coluna. Os riscos valeram até mesmo um alerta da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, além da mobilização das escolas, pois muitos jovens aparecem nos vídeos de uniforme escolar.

Maeda, que atualmente é o chefe do do serviço de Neurocirurgia do Hospital Pequeno Príncipe, de Curitiba, afirma que os riscos da prática estão sendo subestimados. Ele explica que, em uma rasteira, é como se a pessoa caísse de uma altura equivalente à própria altura. Por exemplo, se um adolescente tem um 1,70 metro, ele sofreria as consequências de uma queda de uma altura de 1,70 metro. "Você está sendo retirado subitamente da sustentação. E são vários os riscos ao bater a cabeça, como fratura no crânio, hemorragia, inchaço. Além disto, podem também acontecer lesões na coluna cervical e torácica", alerta.

Veja mais AQUI, no SAÚDE DEBATE.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES