Publicidade
2018 lucrativo

Mercado da Bola: Palmeiras tá de olho no dinheiro

(Foto: Pexels.com)

Durante a pausa para a Copa do Mundo, o mercado da bola se movimenta efervescentemente em todo o Brasil, e o Palmeiras é um dos protagonistas.

O treinador do Palmeiras, Roger Machado continua trabalhando junto aos diretores da Academia do Futebol para tentar reforçar o melhor possível ao clube, com vistas à obtenção do título do Brasileirão. O Verdão carece de jogadores chave em algumas áreas do campo, e a pausa da competição para a Copa do Mundo é o momento ideal para procurar pelos reforços.

Jogadores saem, jogadores entram

Na presente edição do Brasileirão o mercado da bola tem tido uma grande movimentação dentro das 20 equipes participantes, e depois da jornada 12 o Verdão já tem algumas opções de reforço. O atacante Anderson Ferreira, conhecido no interior paulista como “Pelé”, é a primeira opção para reforçar a frente do Verdão, além da recente disputa pelo retorno de Gustavo Scarpa, já que eles marcaram 18 gols contra 11 recebidos, e contam com 19 pontos, 8 atrás do líder atual da competição, o Flamengo. No atual torneio o clube de Rio de Janeiro tem tido um passo forte no Brasileirão, recebendo somente 7 gols e marcando 21, mas com a saída de Vinicius Junior, que relatou para a ESPN que saiu do ‘maior do Brasil’, isso poderia mudar. Ambas as equipes também estão competindo na presente edição da Copa Libertadores, mas os papéis se invertem nesse caso, pois, em 22 de junho, o Palmeiras é o grande favorito no site de apostas em futebol Betway para vencer a competição com 16.7% de chances. Já o Rubro-negro tem somente 6.7% de chances depois de ter sido o único clube brasileiro a ficar em segundo do seu grupo. Dentro do Palmeiras foram assinadas as saídas do volante Tchê Tchê, do atacante Fernando, do goleiro Daniel Fuzato e do lateral João Pedro, além de que o volante Keno também está encaminhado para o Al-Nassr dos Emirados Árabes por R$35 milhões, segundo Fox Sports.

O futuro do Verdão

O Palmeiras tem na frente a sua participação no Torneio Por La Paz de Colón, que se joga no Panamá e na Costa Rica de 28 de junho a 8 de julho, contra o Árabe Unido de Panamá, o Independiente Medellín da Colômbia e o Alajuelense da Costa Rica. O torneio, que o site da Globo chama de excursão fora do Brasil para o Verdão, serve principalmente para que o treinador Machado confira se os jogadores saídos da base, Papagaio e Matheus Silvestre, estão prontos para se integrar a primeira equipe, ou se o treinador e os diretores executivos devem continuar sua pesquisa por reforços à Academia. Uma coisa boa a favor do Palmeiras é que 5 jogadores que saíram emprestados a outros clubes retornam ao Verdão no mês de julho, caso a diretoria não quiser negociar por mais jogadores de outros clubes. Os jogadores que voltam são os zagueiros Nathan (Servette, Suíça) e Fernando Tobio (Rosario Central, Argentina), o meia Vitinho (Barcelona B, Espanha), e os atacantes Pablo Mouche (Banfield, Argentina), e Gabriel Barbosa (SPAL, Itália), que vão competir por um posto titular com o previamente mencionado Anderson Ferreira. O primeiro jogo do Verdão no reinício do Brasileirão vai ser jogado no Pacaembu, num clássico contra o Santos no dia 19 de julho.

(Crédito: Pixabay.com)

Negócios de sucesso na Academia do Futebol

O Verdão começou a sua parceria administrativa com a Crefisa em 2014, e depois de alguns anos de investimentos em novos jogadores, o investimento feito no Palmeiras tem começado a dar lucros. Durante o atual torneio a Academia do Futebol já atingiu a marca dos R$50 milhões em lucros, com as vendas de Fernando para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, Tchê Tchê para o Dínamo de Kiev, e João Pedro para o Porto, segundo o portal UOL esporte. Além disso, a saída do meia-atacante Keno para o Al-Nasr dos Emirados Árabes adicionaria outros R$35 milhões à conta dos ganhos da Crefisa e Palmeiras em 2018. Além do mais, o Palmeiras ainda tem oportunidade de pegar os US$6 milhões (R$23 milhões) que a CONMEBOL dá como prêmio ao vencedor da Copa Libertadores neste ano, fora os R$ 18 milhões que recebe o campeão do Brasileirão. Caso atinja os seus objetivos dentro da América do Sul neste ano, a Academia do Futebol e a Crefisa podem somar um total de mais de R$108 milhões, completando 2018 de forma muito mais que positiva para as suas finanças.

Caso vençam a Libertadores eles terão acesso ao Mundial de Clubes em dezembro, onde o prêmio é um extra de R$16 milhões. Com bons investimentos, transferências e um ótimo desenvolvimento de seus jogadores na base, o Verdão está fazendo de 2018 um dos anos mais lucrativos da sua história.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES