Crise Hídrica

Mesmo com chuvas na última semana, nível das barragens que abastecem a RMC piora

A Barragem do Cayguava, também conhecida como Piraquara I: estiagem revela detalhes preservados desde a formação do lago, na década de 1970
A Barragem do Cayguava, também conhecida como Piraquara I: estiagem revela detalhes preservados desde a formação do lago, na década de 1970 (Foto: Franklin de Freitas)

Após 10 dias secos, na última semana voltou a chover em Curitiba. Somente nos dias 28 (terça-feira) e 29 (quarta-feira) a precipitação acumulada na cidade foi de 20,4 milímetros, enquanto ao longo de todo o mês de julho choveu um total de 31,4 milímetros na capital paranaense. Ainda assim, não foi o suficiente para ao menos amenizar um pouco a situação hídrica do município e da região metropolitana.

Conforme dados divulgados hoje pela Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), o nível médio do Sistema de Abastecimento de àgua Integrado de Curitiba, que abastece a capital e municípios do entorno, teve uma leve piora, passando dos 31,96% registrados no último dia 27 para 31,09% hoje. 

O que acontece é que desde junho do ano passado o Paraná vem registrando, mês a mês, índices pluviométricos bem abaixo da média histórica. A estiagem, tanto no Estado como na Capital, é a pior das últimas quatro décadas, pelo menos. Levantamentos iniciais do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) apontam que o período de escassez de chuvas deve se estender até setembro. E de acordo com a Sanepar, o sistema que abastece Curitiba e região tem autonomia para atender a demanda por esse mesmo período, praticamente.

Rodízio mais rígido de ´pagua pode ser adotado na RMC

Na última semana, em entrevista à CBN Curitiba, o diretor de Meio Ambiente da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Julio Gonchorosky, revelou que a empresa estuda adotar um sistema de rodízio mais rígido, ampliando o período de desabastecimento dos imóveis de Curitiba e Região Metropolitana.

A medida, segundo ele, seria necessária na medida em que o nível dos reservatórios está cada vez mais crítico, sendo que não há previsão de chuvas para a quinzena de agosto, que costuma ser considerado o mais seco para a região leste do Paraná.

Confira abaixo a evolução do nível dos reservatórios de água que abastecem a Região Metropolitana de Curitiba


Reservatório
20 de julho 27 de julho 3 de agosto
Iraí 15% 11,17% 11,72%
Passaúna 36,50% 34,29% 34,17%
Piraquara I 33% 20,76% 17,21%
Piraquara II 88% 96,66% 93,06%
Média 34% 31,96% 31,09%