Publicidade

Minas Gerais está falida, diz Romeu Zema após posse

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - Após tomar posse como governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) disse, em entrevista à imprensa, que vai gerir um estado com dificuldades financeiras. "O estado está literalmente falido. Temos que abrir a caixa-preta das finanças", afirmou.

Para o novo governador será preciso união de todas as classes, poderes e cidadãos, sem distinção para enfrentar os desafios que virão pela frente. "A falta de austeridade nos últimos anos fez com que tenhamos uma previsão de déficit de R$ 30 bilhões em 2019."

No plenário da Assembleia, Zema e o vice Paulo Brant entregaram suas declarações de bens para o presidente da Casa, Adalclever Lopes (PMDB), que conduziu a cerimônia. Na sequência, o novo governador fez seu discurso na tribuna da Casa.

Ao final da cerimônia, Zema deixou o Plenário passando pela cúpula de aço formada por cadetes do Corpo de Bombeiros e seguiu para a Cidade Administrativa para a cerimônia de início de gestão do governo.

O governador desistiu de participar da posse de Jair Bolsonaro. O motivo alegado pela assessoria de Zema foi a falta de um voo de carreira que faça a tempo o percurso entre Belo Horizonte, onde tomou posse, e Brasília.

Zema poderia usar uma aeronave do estado, mas quer evitar gastos extras. Minas enfrenta uma das maiores crises fiscais de sua história. O governador mineiro foi eleito com o discurso de austeridade nas contas públicas.

DESTAQUES DOS EDITORES