Repercussão

Ministério 'exclui' Cataratas de lista de destinos turísticos que serão destaques em 2022

(Foto: Divulgação )

O Ministério do Turismo lançou na terça (16) a Revista de Tendências do Turismo com um retrato das projeções para a atividade no período pós-pandemia e que impulsionará a retomada das atividades turísticas ao longo de 2022. O documento, produzido pela Secretaria Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo (SNDTur), traz entre as tendências do setor o turismo de experiência, o turismo gastronômico e as férias com autocuidado. O documento 25 destinos como tendência no turismo em 2022. Nele, não há nenhum lugar no Paraná. Nem mesmo as Cataratas do Iguaçu, em Foz, foram incluídas. A 'exclusão' não agradou as lideranças paranaenses. 

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) afirmou  que as atrações turísticas do Paraná precisam ser melhor trabalhadas para trazer mais turistas ao Estado.
Ele citou que informações preliminares de um levantamento feito pelo Ministério do Turismo não apontam nenhum destino paranaense entre os 25 escolhidos como tendência para visitação em 2022. “Lamentável que não tenhamos nenhuma atração nesta lista. Precisamos reforçar o trabalho de divulgação de nossos atrativos para que o Paraná não seja deixado de lado como opção de turismo. Este é um setor que gera muitos empregos e oportunidades de renda”, considera Romanelli.

Romanelli lastimou a ausência inclusive das Cataratas do Iguaçu na lista do Ministério e ressaltou que há ainda opções como a região da Angra Doce, no Norte Pioneiro, os atrativos do Rio Paraná, em diversas cidades do Noroeste, além da Ilha do Mel e outros destinos do Litoral. “Não faltam atrativos turísticos em todas as regiões paranaenses”, reforça o deputado. Segundo Romanelli, o turismo precisa de estímulo para recuperar as perdas causadas pela Covid e retomar a trajetória de crescimento acelerado registrado até o início de 2020.

Segundo o Ministério do Turismo, os destinos de destaque para 2022 são:

• Alter do Chão (PA)
• Belém (PA)
• Boa Vista (RR)
• Bonito (MS)
• Campos do Jordão (SP)
• Chapada dos Veadeiros (Alto Paraíso e Cavalcante-GO)
• Fernando de Noronha (PE)
• Florianópolis (SC)
• Fortaleza (CE)
• Gramado (RS)
• Ilhabela (SP)
• Jalapão (TO)
• João Pessoa (PB)
• Maceió (AL)
• Natal (RN)
• Paraty (RJ)
• Pirenópolis (GO)
• Porto Alegre (RS)
• Porto de Galinhas (Ipojuca-PE)
• Porto Seguro (BA)
• Praia Grande (SC)
• Rio de Janeiro (RJ)
• São Paulo (SP)
• Serra da Capivara (PI)
• Ubatuba (SP)

Um dos destaques do boletim é o caravanismo, que ganhou força durante a pandemia de Covid-19 e consiste no ato de viajar a bordo de um veículo que, além de meio de transporte, é uma espécie de acampamento. O turismo rodoviário se fortaleceu a partir do crescimento do mercado de motorhomes no Brasil e a tendência deve se manter aquecida em 2022.

Pensando neste segmento, o Ministério do Turismo, inclusive, criou o Grupo de Trabalho de Caravanismo e Ponto de Apoio ao Viajante (PAV), com o objetivo de desenvolver políticas para estruturar áreas de apoio aos turistas nas rodovias e incentivar o caravanismo no país.

Outra tendência marcante é a busca, por parte dos viajantes, por destinos seguros do ponto de vista sanitário. Já de olho nesta demanda, ainda em 2020, a Pasta lançou o Selo Turismo Responsável com protocolos de biossegurança para 15 atividades do setor e que já tem mais de 30,7 mil selos emitidos em todo o Brasil. A Revista de Tendências apresenta a lista com os 10 municípios com maior quantidade proporcional de selos em comparação ao número de empreendimentos inscritos no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur). (Confira lista ao final)

Dos 10 destinos com maior quantidade de selos em relação ao Cadastur, oito estão localizados no Nordeste e os dois primeiros estão na Bahia – Mucuri (91,67%) e Camamu (89,29%).

REVENGE TRAVEL – De acordo com a publicação, as viagens passam a ter mais significado, sendo incluídas em momentos marcantes na vida dos turistas, como casamentos ou formaturas. Além disso, depois do isolamento, viajar para recompensar o tempo perdido e investir em destinos e serviços de luxo se tornam algo bastante requisitado.

No pós-pandemia se fortalece também o conceito de Workation que possibilita que viajantes trabalhem de qualquer lugar - algo possível graças ao home office e as novas opções de trabalho não presencial – permitindo unir trabalho e lazer no pós-expediente em diferentes cenários.

DESTINOS DE NATUREZA – Outra tendência absoluta apontada pela Revista são os destinos de Sol e Praia e de ecoturismo. O trabalho de pesquisa realizado pelo Ministério do Turismo elencou os 25 destinos tendência para o ano. Destaque para a Serra da Capivara (PI), único destino brasileiro entre os 52 lugares a se conhecer em 2022 - segundo seleção feita pelo New York Times - e para São Paulo (SP) - o destino brasileiro que mais se sobressaiu nas tendências mundiais (citado em três listas diferentes).