Publicidade
Caso Renata Muggiati

Ministério Público reforça pedido de prisão preventiva de Raphael Suss Marques

(Foto: Reprodução Facebook)

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) reforçou o pedido de prisão preventiva contra o médico Raphael Suss Marques, acusado de matar a namorada, a fisiculturista Renata Muggiati. O pedido foi protocolado nesta terça-feira, 12.

Renata caiu do 31º andar de um prédio, no Centro de Curitiba, em setembro de 2015. O médico é réu no processo e está em liberdade desde agosto de 2017, com monitoramento de tornozeleira eletrônica.

No entanto, no dia 23 de janeiro deste ano, Marques desobedeceu a proibição da Justiça de frequentar bares e similares. De acordo com as investigações, ele foi flagradao em um torneio de pôquer, em Curitiba, no mesmo dia em que apresentou uma falsa justificativa para faltar a uma audiência do processo.

O Ministério Público teve acesso ao sistema de comandas utilizadas pelo acusado. De acordo com as investigações, o médico chegou ao local às 15h40 e foi embora cinco horas depois. No ranking da competição de pôquer, ele aparece em 5º lugar.

Diante disso, o MP-PR fez o pedido de prisão preventiva e de revogação do benefício de liberdade à Justiça em 6 de janeiro, através do promotor Marcelo Balzer Correa. Ele argumentou que Raphael não merece a liberdade, que já lhe foi concebida duas vezes.

À época, a defesa do médico disse que não iria se pronunciar porque o processo corre em sigilo. A Justiça, então, abriu prazo de cinco dias para que a defesa dele apresentasse justificativa - o que não foi feito.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES