Rodovias

Ministro da Infraestrutura descarta rever modelo híbrido de pedágio no Paraná

Pedágio: segundo ministro, para garantir obras é preciso uma tarifa justa
Pedágio: segundo ministro, para garantir obras é preciso uma tarifa justa (Foto: Valquir Aureliano)

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, voltou a defender hoje, em reunião com a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) da Câmara Federal, em Brasília, o modelo híbrido para as novas concessões do pedágio no Paraná. Freitas reafirmou que esse modelo, com leilão por menor tarifa, e exigência de um depósito caução a ser revertido nas próprias concessões é uma garantia de que as obras serão realizadas. Ele também reforçou que o compromisso de que as novas tarifas sejam justas, e atreladas aos investimentos previstos.

As atuais concessões do pedágio terminam em novembro. O governo federal pretende fazer a a nova concessão por 30 anos de 3.327 quilômetros de estradas federais e estaduais - 834 quilômetros a mais do que as atuais que vencem em novembro, e um investimento de R$ 42 bilhões. A concessão seria dividida em seis lotes, 42 praças de pedágio, 15 praças a mais do que atualmente. O projeto prevê ainda aumento de 40% das tarifas após a duplicação.

Leia mais no blog Política em Debate