Ministros das finanças da zona do euro expressam consenso por apoio econômico

O Eurogrupo, que reúne os ministros das finanças da zona do euro, informou nesta sexta-feira, 16, que existe consenso "sobre a necessidade de continuar a aplicar medidas orçamentais de apoio em 2021 e 2022 e enquanto persistir a emergência de saúde". Em comunicado após reunião, o órgão indicou que espera um crescimento de 4% do Produto Interno Bruto (PIB) da região em 2021 , e um retorno aos níveis de antes da pandemia na região em 2022.

"A prioridade é permanecer ágil e continuar a ajudar os cidadãos na Europa e em todo o mundo a combater o vírus e suas variantes", indica o documento. "Estamos empenhados em manter o apoio fiscal em vigor, implementar nosso Recurso de Recuperação e Resiliência comum e ajustar nossa resposta conforme as necessidades surjam", afirmou o presidente do Eurogrupo, Paschal Donohoe.

Os ministros saudaram a consulta pública do Banco Central Europeu (BCE) sobre um euro digital. O resultado foi sem "precedentes à consulta pública do BCE", com 8 mil respostas, e "demonstra a importância deste trabalho para os cidadãos".

Segundo o comunicado, as prioridades para a retomada são "avanço na transição verde; acelerar e expandir as reformas e transformações digitais; e recuperação social e econômica e geração de empregos".