Publicidade
Ação

Moro autorizou devassa em vida de empresário acusado para tentar prendê-lo

Novas mensagens vazadas dos procuradores da Lava Jato mostram que o Ministério Público Federal (MPF) pediu ao então juis Sérgio Moro medidas contra a filha de um alvo da operação, um empresário radicado em Portugal, como forma de força-lo a se entregar. Ela não era suspeita de nenhum crime.

Os diálogos o aplicativo Telegram, obtidos e publicados pelo site The Intercept Brasil mostram que a ideia era chegar ao paradeiro do empresário Raul Schmidt através da filha, Nathalie Angerami Priante Schmidt Felippe. 

Em trecos da conversa, o procurador Diogo Castor de Mattos afirma que a ação visava criar um "elemento de pressão" no empresário. Schmidt é apontado como operador de propinas para ex-dirigentes da Petrobras. Ele foi preso, mas liberado para responder o processo em prisão domiciliar. 

VEJA A REPORTAGEM COMPLETA AQUI

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES