Motivos para investir no empréstimo entre pessoas físicas

Muitos investidores vivem um permanente dilema na hora de aplicar o próprio dinheiro: renda fixa - com baixo retorno, mas com rentabilidade segura - ou renda variável, com possibilidade de grandes ganhos, porém muitos riscos.

Uma forma de investimento, que é conversadora, mas, ao mesmo tempo, permite uma rentabilidade muito maior em relação aos investimentos em renda fixa tradicional é o empréstimo entre pessoas físicas - serviço regulamentado pelo Banco Central do Brasil em 2018 com a criação da Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP).

A SEP proporciona uma forma de empréstimo em que instituições financeiras credenciadas conectam pessoas que precisam do empréstimo com quem dispõe de recursos para investir. As transações são realizadas por meio de fintechs que intermediam essa maneira de empréstimo peer-to-peer.

As SEPs não podem utilizar recursos próprios e nem assegurar o cumprimento dos acordos. Elas avaliam e classificam os bons pagadores e os bons poupadores e os conectam para a realização dos empréstimos. Os negócios acontecem em meio totalmente digital.

Vantagens do Empréstimo entre Pessoas

Essa modalidade é vantajosa para os dois lados. Para quem recebe os recursos: juros mais baixos em relação a empréstimos feitos em instituições bancárias e para quem investe, que obtém juros maiores do que os recebidos em investimentos, como aplicação na caderneta de poupança, Crédito Direto Bancário (CDB) ou Tesouro Direto.

Para o investidor, existe liberdade total em escolher para quem o recurso será emprestado. A SEP avalia cada tomador de empréstimo com base no seu histórico de crédito. Com critérios objetivos, classifica quem possui as melhores capacidades de pagamento.

O investidor ainda tem contato direto com a pessoa, conhecendo quem ela é e qual o destino dos recursos do crédito. Dessa forma, quem investe no empréstimo entre pessoas físicas consegue, não apenas uma boa rentabilidade, mas também ajuda diretamente outra pessoa. Assim, o investidor lucra e ainda permite que uma pessoa real resolva sua situação financeira, seja para realizar um sonho ou para se livrar de uma dívida mais pesada. É o típico negócio que faz bem para todos.

Riscos do Empréstimo entre Pessoas

Como todo investimento, essa modalidade inclui riscos. Neste caso, é a inadimplência do tomador do empréstimo. Entretanto, por ser um empréstimo regulamentado, o investidor tem todo o amparo contratual e jurídico para receber juros e multas do atraso de pagamentos. A SEP também pode auxiliar na cobrança entrando em contato direto com o tomador de crédito.

Por ser um negócio peer-to-peer, a falta de pagamento nesse tipo de empréstimo costuma ser bem menor em relação aos empréstimos realizados em instituições bancárias.

Comunidade Financeira

O Bullla foi a primeira fintech autorizada pelo Banco Central a realizar empréstimos entre pessoas físicas. Trata-se de uma comunidade financeira que promove soluções de crédito e investimento.

Mais informações em https://www.bullla.com.br/



Website: https://www.bullla.com.br/