Publicidade
Qualificado

Mourão volta a defender cargo para filho

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse que, se pudesse, levaria o filho Antônio Hamilton Rossell Mourão para trabalhar ao seu lado no Palácio do Planalto. A promoção do filho do general para assessor especial da presidência do Banco do Brasil, com um salário de R$ 36,3 mil - o triplo do atual -, causou polêmica no governo.
“Eu não tive nada a ver com isso, o presidente do banco (Rubem Novaes) o convidou para ser assessor. Aí, é óbvio que lá dentro o sindicalismo bancário se revolta. São coisas da vida”, afirmou Mourão, ao lembrar que Rossell Mourão completará 19 anos no banco.
Questionado sobre algum tipo de constrangimento, o general respondeu: “Para mim, não. Não é por ser meu filho, mas ele é um profissional extremamente qualificado. Se eu pudesse, o teria aqui na minha equipe”.
Mourão admitiu problemas na comunicação do governo, mas disse que as divergências estão superadas.

DESTAQUES DOS EDITORES