Publicidade
Em São Paulo

Mulher é esfaqueada e tem corpo colocado em mala em Mauá

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma mulher de 26 anos foi encontrada nesta quarta-feira (24) morta dentro de uma mala de viagem, no apartamento de um casal em Mauá (ABC). A vítima, Viviane Miranda Maurício, foi até o local para se encontrar com um desempregado de 22 anos. A mulher dele, assistente social, não estava.

Viviane foi esfaqueada ao menos três vezes na região da barriga. Segundo a assistente social, 36, seu companheiro telefonou para ela, por volta das 17h25, afirmando de forma "ofegante" para que ela não voltasse ao apartamento, pois ele "havia feito uma besteira". Ele pediu para que a mulher o encontrasse em um shopping em Santo André (ABC).

Ela, porém, não seguiu as orientações do desempregado, que é apontado pela polícia como o suspeito do crime, e foi até a casa. A defesa dele não foi encontrada.

A assistente disse à polícia que a porta do apartamento estava aberta. Na sala, ela diz, havia uma faca sobre a mesa, sem marcas aparentes de sangue.

Quando entrou no quarto, ela percebeu que havia roupas sobre uma mala, dentro do guarda-roupa. Ao mexer nas peças, percebeu que dentro da mala estava o corpo de uma mulher, com as mãos amarradas. Ela "entrou em desespero" e foi à portaria pedir ajuda.

Segundo um motorista de aplicativo, 31 anos, Viviane embarcou na Bela Vista (região central de SP), de onde foi à casa do acusado. A corrida custou R$ 80.

"Ela disse que ficaria cerca de uma hora no local e que era para ele a esperar", relatou o motorista à polícia.

Quando o prazo combinado foi ultrapassado, o motorista perguntou por ela na portaria. O desempregado afirmou que Viviane havia ido embora. O motorista decidiu procurá-la.

COMPORTAMENTO

Outro motorista de aplicativo, 24 anos, afirmou ter feito uma corrida com o suspeito por volta das 18h, período em que a mulher já estaria morta. A corrida foi encerrada em Santo André.

A assistente social disse que o acusado fica violento após usar drogas e diz "ouvir vozes". Por conta do comportamento agressivo, ela diz que a Justiça expediu uma medida protetiva contra o desempregado. Segundo ela, ambos reataram o relacionamento recentemente.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES