Indústria

Município que é o maior produtor de móveis do País fica no Paraná. Veja qual

(Foto: Geraldo Bubniak/AN-PR)

O município de Arapongas, no Norte do Estado, tem cerca de 124 mil habitantes e encontra na indústria moveleira sua principal força. O segmento é o que mais emprega no município, fazendo da cidade a maior produtora de móveis do país. Na série de reportagens que está apresentando produtos e empresas dentro do programa Feito no Paraná, vamos conhecer um pouco mais sobre a indústria moveleira de Arapongas.

De acordo com Irineu Munhoz, presidente do Sindicato das Indústrias de Móveis de Arapongas (Sima), são cerca de 270 empresas do segmento no município e que juntas empregam cerca de 10 mil pessoas de forma direta.

“Os estados do Sul mais São Paulo produzem cerca de 80% de todos os móveis no Brasil. Mas Arapongas, individualmente, é o município que mais fabrica móveis no país. Isso faz com que a cidade seja a capital moveleira do Brasil”, afirma.

O segmento começou a se estruturar por volta da década de 1970, quando a região deixou de ser produtora de café. As primeiras empresas começaram a surgir e logo a vocação se espalhou pelo município e cidades do entorno.

Segundo Munhoz, além da facilidade de concentrar maior número de fornecedores, a proximidade das empresas moveleiras na região também permitiu a criação de um centro de tratamento de resíduos, o Cetec. "Chegamos a produzir 300 toneladas de resíduos de madeira por dia. Este resíduo é todo tratado e se transforma em energia. Trata-se do primeiro centro que nasceu de uma iniciativa de um sindicato e resolveu um grande problema ambiental”, diz.

Para ele, o programa Feito no Paraná cumpre um papel importante de valorização da indústria local. "A fabricação de móveis é uma vocação do Paraná e é muito importante que o paranaense saiba disso. Produzimos no Estado móveis sustentáveis, com uma qualidade fantástica e design apurado”, afirma.

DIFERENCIAL - Com fábrica em Sabáudia, a Movelim é uma empresa que produz móveis de alto padrão, para lojas de decoração. Com 19 anos no mercado e totalmente familiar, eles empregam cerca de 50 pessoas, além de terceirizarem parte de sua produção, gerando mais empregos indiretos.

Sonia Cristina Graçano Barros de Carvalho, diretora e designer da empresa, conta que a família foi aprendendo aos poucos as nuances do negócio. “Não tínhamos experiência com a produção de móveis. Fomos evoluindo, entendendo melhor o mercado e hoje temos vendas programados até o mês de janeiro e nem estamos mais aceitando pedidos para 2020”, conta.

A empresa fabrica diversos tipos de móveis, mas as mesas e as cadeiras são o carro-chefe. O diferencial da Movelim é a produção de móveis em madeira maciça, com destaque para o design. As peças fabricadas misturam couro, cordas naturais e tecidos em algodão, dando aos produtos singularidade e sofisticação.

Sonia conta que, com a pandemia, viu-se obrigada a parar a produção por um mês. “Mas a partir de junho o mercado começou a se recuperar e até inverteu completamente: enquanto as indústrias pararam de produzir, as pessoas começaram a comprar demais. Então estamos sentindo o impacto disso, com falta de matéria-prima, por exemplo”, explica.

No entanto, o fato de usar boa parte de produtos nacionais em seu processo fabril tem facilitado o trabalho da empresa em tempos de pandemia. “Muitos fornecedores optaram por exportar, já que o mercado interno parou repentinamente. Mas agora as coisas estão começando a voltar ao normal”, afirma.

Além de abastecer as principais lojas de decoração do Sul do país, a Movelim exporta para diferente países da América Latina e América do Norte.

GIGANTE - Outra empresa do segmento é a Caemmun. Fundada há 27 anos, emprega cerca de 500 pessoas, tem duas unidades fabris - uma em Arapongas e outra em Sabáudia - e exporta cerca de 25% de toda a sua produção para mais de 50 países.

Especializada em móveis seriados, a empresa figura entre as maiores do país no segmento e fornece seus produtos para todas grandes redes do país e também para algumas redes internacionais. Além da marca Caemmun, a fábrica produz a marca Líder Casa, com móveis de padrão superior.

De acordo com Munhoz, que faz parte do conselho de administração da empresa, além das fábricas, o grupo Caemmun tem um segmento agroflorestal, que fornece matéria-prima para a indústria. "Temos uma fazenda de produção de madeira, situada em Cândido de Abreu. Atuamos de várias formas para sustentar o negócio principal”, conta.

FEITO NO PARANÁ - Criado pelo Governo do Estado, o projeto busca dar mais visibilidade para a produção estadual. O objetivo é estimular a valorização e a compra de mercadorias paranaenses. O projeto foi elaborado pela Secretaria do Planejamento e Projetos Estruturantes e quer estimular a economia e a geração de renda. Empresas paranaenses interessadas em participar do programa podem se cadastrar pelo site www.feitonoparana.pr.gov.br.