Publicidade
No Orlando Scarpelli

Muralha pega pênalti e Coxa, mesmo com um jogador a menos, arranca empate contra o Figueirense

(Foto: Divulgação/ Coritiba)

Coritiba e Figueirense protagonizaram na noite desta sexta-feira (08 de novembro) uma partida de muita emoção, válida pela 34ª rodada da Série B. Com os dois times precisando da vitória – os paranaenses para conseguirem o acesso, os catarinenses para escapar da degola -, o que se viu foi um jogo aberto no Orlando Scarpelli. Os donos da casa tiveram a chance de abrir o placar aos 37, em cobrança de pênalti de Fellipe Mateus (no lance, o lateral-direito Diogo Mateus acabou expulso, deixando o Coxa com um a menos). Com os pés, Alex Muralha salvou o time visitante, que conseguiu largar na frente do placar com menos de um minuto de 2º tempo, com um golaço de Robson. O time de Jorginho então recou para segurar a vantagem e acabou tomando o empate aos 23 minutos, com Rafael Marques dando números finais ao placar: 1 a 1.

Com 54 pontos, o Coritiba se segura no G4 da Segunda Divisão e, ao menos temporariamente, sobe para a terceira colocação - o Atlético-GO, que tem o mesmo número de pontos e é o quarto colocado, joga neste sábado, às 19 horas, contra o CRB no Estádio Rei Pelé. Já o quinto colocado da Segundona é o América-MG, que chegou aos 52 pontos após vencer o Londrina no Estádio do Café por 1 a 0.

Já o Figueirense, com 35 pontos, segue na 17ª colocação. O time catarinense está empatado em pontos com o Tubarão, mas leva desvantagem no número de vitórias - seis contra dez.

Se não alcançaram o resultado esperado, por outro lado os dois times mantém suas séries invictas. O Coritiba não perde há nove rodadas (cinco empates e quatro vitórias), sendo que a última derrota ocorreu em 5 de outubro, contra o Paraná (2 a 0) na Vila Capanema.

Já o Figueira não foi derrotado nas últimas oito partidas na Série B, com duas vitórias e seis empates. A última derrota foi para o Oeste, por 2 a 1, em Florianópolis.

Escalações

No Coritiba, a expectativa era que o técnico Jorginho repetisse a escalação das últimas rodadas. O professor, porém, surpreendeu e acabou por montar uma equipe mais ofensiva. Serginho deixou o onze inicial e Juan Alano foi recuado para a volância. Isso abriu espaço para a entrada de Kelvin no setor ofensivo, alteração que o treinador justificou pela necessidade de a equipe ficar mais tempo com a bola no campo de ataque.

O Figueirense não conta com o zagueiro Dener, os laterais Matheus Destro e Wallace, os volantes Christian e Zé Antônio e o meia Matheuzinho, todos lesionados.

O Jogo

Com a mudança na escalação, com um meia jogando como segundo volante, o Coritiba mudou a postura em relação aos últimos jogos. O time buscou jogar com passes mais curtos e ficando mais tempo com a posse de bola, ao mesmo tempo em que marcava no campo do adversário, pressionava em cima.

A primeira chance de gol, é bem verdade, foi do Figueirense, aos 12 minutos. Mas na sequência o Coxa respondeu e criou três boas chances, com direito a uma bola na trave aos 24-1º. Mas aos 35, Diogo Mateus, que já havia tomado cartão amarelo após falta desnecessária em Conrado, acabou cometendo falta em Breno dentro da área. Pênalti e cartão vermelho para o coxa-branca. Na cobrança penal de Fellipe Mateus, os pés Alex Muralha salvaram o Coxa. Ainda havia esperança.

Para recompor o setor defensivo coxa-branca, o técnico Jorginho promoveu a entrada de Felipe Mattioni no lugar de Kelvin ainda na etapa inicial. E já no segundo tempo, no primeiro minuto de jogo, uma pintura para deixar o acesso mais próximo pro time do Alto da Glória: de Rodrigão para Juan Alano, que descolou um passe cirúrgico para Robson. O atacante ainda deixou o goleiro e um defensor no chão antes de empurrar pro fundo da rede e conferir o 1 a 0 para a equipe visitante.

A partida, então, virou um jogo de xadrez. No Coxa, Jorginho reforçou a marcação com o volante Serginho substituindo o meia Giovanni. Pintado, do Figueirense, respondeu com o meia Jefferson Renan no lugar do volante Patrick. O time mandante ainda faria suas duas últimas mudanças, aos 22 e aos 36, com Gustavo Poffo e Guilherme nos lugares de Robertinho e Fellipe Mateus. No time visitante, a última substituição veio aos 26: o artilheiro Rodrigão pelo jovem Igor Jesus.

O que se viu, então, foi um verdadeiro bombardeio do Figueirense. E esse bombardeio surtiu efeito aos 23 minutos, quando Rafael Marques mostrou oportunismo para achar o gol de empate.

FICHA TÉCNICA

Figueirense 1 x 1 Coritiba

Figueirense: Pegorari; Luis Ricardo, Pereira, Alemão e Conrado; Patrick (Jefferson Renan), Betinho e Fellipe Mateus (Guilherme); Breno, Robertinho (Gustavo Poffo) e Rafael Marques. Técnico: Pintado
Coritiba: Muralha; Diogo Matheus, Nathan Ribeiro, Sabino e William Matheus; Matheus Salles e Juan Alano; Kelvin (Felipe Mattioni), Giovanni (Serginho) e Robson; Rodrigão (Igor Jesus). Técnico: Jorginho
Gols: Robson (1-2º), Rafael Marques (23-2º)
Cartões amarelos: Diogo Matheus, Giovanni, Rodrigão (C); Alemão, Conrado (F)
Cartão vermelho: Diogo Matheus (C).
Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ)
Público: pagantes (total)
Renda: R$
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, às 21h30

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo

12 – Luís Ricardo aciona Rafael Marques, que faz o pivô na entrada da área e aciona Fellipe Matheus. Cara a cara com o goleiro, o jogador do Figueira tenta um toque por cobertura e manda por cima do gol.

16 – Cobrança de falta de Diogo Mateus. William Matheus aparece bem no meio da área, sobe mais que todo mundo e cabeceia. Por cima do gol.

23 – Boa trama do Coxa pela direita. Kelvin recebe dentro da área e cruza para Robson, que sobre bem dentro da área e cabeceia. Ao lado do gol, com perigo.

24 – Giovanni recebe de Kelvin na entrada da área, ajeita e chuta de pé direito, com categoria. O goleiro espalma e a bola toca caprichosamente na trave.

35 – Bola alçada na área do Coritiba. Breno domina e tenta a finalização, mas Diogo Mateus chega por trás e derruba o atacante. Pênalti e segundo cartão amarelo para o lateral.

37 – Cobrança de pênalti de Fellipe Mateus no meio do gol. Muralha cai para o lado, mas ainda consegue salvar com os pés!

43 – William Matheus recebe livre pela esquerda, dentro da área, demora a chutar e Robertinho se recupera para travar a finalização, facilitando a defesa de Pegorari.

44 - Breno avança com liberdade pela intermediária e arrisca um chute colocado. Alex Muralha espalma.

Segundo tempo

1 - Gol do Coritiba! E que golaço! Juan Alano dá lindo passe enfiado para Robson. O atacante domina dentro da área, finge o chute e faz Luis Ricardo e Pegorari caírem no chão. Na sequência, ele só empurra pro fundo da rede.

8 – Cobrança de falta pro Figueira e a bola viaja para a área. Luís Ricardo cabeceia, Muralha espalma e Rafael Marques aparece para conferir no rebote. Mas o goleiro cresce e faz outra grande defesa.

17 – Sobra de bola fica dentro da área com Fellipe Mateus. Em boa posição e boa condição, o meio-campista manda para fora.

23 – Gol do Figueirense! Cruzamento de Luís Ricardo, a bola desvia em Sabino e sobra para Rafael Marques, livre, limpo, chutar no canto. Muralha chega a tocar na bola, mas não evita o empate.

32 - Igor Jesus recebe dentro da área e chuta cruzado. Pegorari defende e Robson se estica para alcançar no rebote, mas não consegue.

35 – Cobrança de escanteio de Fellipe Mateus. A bola sobra para Rafael Marques, que tenta um chute de primeira, de canhota, e manda para fora.

36 – Serginho chuta forte da entrada da área, no meio do gol. Pegorari faz a defesa em dois tempos.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES