Publicidade
Experiência inédita

Museu Guido Viaro apresenta exposição conjunta de Cláudio Kambé e José Antonio de Lima

A Alegoria Cinza da Caverna de Plat\u00e3o, por Cl\u00e1udio Kamb\u00e9.
A Alegoria Cinza da Caverna de Plat\u00e3o, por Cl\u00e1udio Kamb\u00e9. (Foto: Divulgação)

Amigos há mais de quatro décadas, os artistas plásticos Cláudio Kambé e José Antonio de Lima se preparam para uma experiência inédita: abrir uma exposição conjunta e exclusivamente composta por obras dos dois. Batizada de “Tramas: entre o espaço e o plano”, a exposição acontecerá no Museu Guido Viaro entre 14 de junho e 28 de julho. A vernissage de abertura acontece no dia 14 a partir das 18 horas.

A exposição trará cerca de 30 obras, todas produzidas entre 2008 e 2018. À primeira vista, o conjunto escolhido pelos curadores Fernando Bini e José Carlos Cifuentes destaca as particularidades do trabalho de cada artista: o estilo figurativo e bastante crítico de Kambé em oposição ao abstracionismo e o caráter telúrico e multidimensional de Lima.

Aos poucos, porém, os pontos de convergência também aparecem. Um deles, ressaltado por Fernando Bini, é o uso do cinza. Além de conseguir denotar tanto neutralidade quanto dramaticidade, a cor está relacionada ao passado dos artistas, que antes de se dedicarem à arte, trabalharam em jornais: Kambé como ilustrador e Lima como repórter e fotógrafo.

O diálogo com o passado é outro ponto comum entre os trabalhos, com o uso de cores, formas e figuras que fazem referência à infância dos artistas em cidades do interior.

Destaques
Entre os destaques da exposição estão as telas “A alegoria cinza da caverna de Platão” e “A Emergência da Luz”. A primeira é uma das poucas obras de Kambé que não apresentam figuras humanas e representa a diferença entre o mundo real, cinza, e o mundo das ideias, colorido.

A segunda, por outro lado, chama a atenção por manifestar a evolução orgânica da obra de José Antonio de Lima, introduzindo ao trabalho do artista o elemento fogo, representado pela cor amarela.

Vale ressaltar ainda a presença da obra “Homenagem”, em que Kambé incluiu uma representação das “tramas” com que José Antonio de Lima trabalha há vários anos, estruturas construídas a partir do entrelaçamento de fios e pedaços de tecido.

Serviço
Tramas: entre o espaço e o plano
Com obras de Cláudio Kambé e José Antonio de Lima
De 14 de junho a 28 de julho de 2018
Local: Museu Guido Viaro (Rua XV de Novembro, 1348 - Centro)
Vernissage: 14 de junho a partir das 18 horas

Sobre os artistas
Cláudio Kambé
Claudio Kambé nasceu em Matão (SP) em 1950, mas ainda na infância mudou-se para Cambé, no interior do Paraná. Pintor, desenhista e ilustrador, começou a trabalhar como ilustrador do Jornal Panorama, de Londrina (PR), em 1975, passando mais tarde pelo Diário do Paraná e Folha de S. Paulo. Realizou sua primeira exposição, “Expressões”, em 1981, na Associação Comercial de Londrina (PR). Desde então suas obras foram expostas em diversas outras ocasiões e locais, com destaque para a do Porto Galeria de Arte 245, no Porto, em Portugal, em 1992 (coletiva), a do Fórum Interart, em Roma (1995) e “Absurdo da Realidade”, na Caixa Cultural de Curitiba, em 2006 (individual).

José Antonio de Lima
Brasileiro do município de Sacramento, Minas Gerais, José Antonio de Lima nasceu em 1955 e mudou-se para o Paraná aos 9 anos de idade. Formou-se em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) em 1979 e depois atuou como repórter e fotógrafo de jornais e revistas do estado. Sua primeira exposição foi realizada em Maringá, Paraná, em 1987. Desde então já levou suas esculturas, desenhos e pinturas a diversos estados do Brasil e países do mundo.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES