Na Colômbia, time tem surto de covid e entra em campo com apenas sete jogadores

Um jogo inacreditável aconteceu na Colômbia: o Rionegro Águilas entrou em campo para jogar contra o Boyacá Chicó com apenas sete jogadores e sem nenhum no banco. A equipe enfrenta um surto de covid-19 no elenco e teve seu pedido para adiar a partida negado pela organização do Campeonato Colombiano.

O Águilas pediu o adiamento da partida na última quinta-feira, quando 15 testes do elenco deram resultado positivo, além de sete outros jogadores que já estavam no departamento médico. O clube recebeu a permissão para inscrever atletas do time sub-20, mas alegou não poder colocá-os pois nos últimos dois anos não participou do campeonato da categoria por conta da pandemia.

Ainda assim, a Primeira Divisão negou o pedido para o adiamento da partida. "Se há sete jogadores disponíveis, terão que se apresentar com esses sete jogadores", se manifestou Fernando Jaramillo, presidente da Liga, ao canal de TV Win Sports.

O Águilas criticou o posicionamento do torneio em nota oficial, alegando que faria o Campeonato Colombiano ser tristemente célebre a nível mundial, ao invés de uma glória para a nação como no passado. Sob ameaça de 'fortes sanções', o time acabou entrando em campo com os sete jogadores mesmo. O clube também já solicitou o adiamento do jogo com o Envigado, outro time que tem casos de covid-19.

O jogo acabou suspenso antes dos 90 minutos regulamentares. Aos 35 do segundo tempo, quando o Boyacá Chicó vencia por 3 a 0, Giovanny Martínez sofreu uma lesão e, sem ter como substituí-lo, o Águilas teria apenas seis jogadores em campo, menos que o definido pela regra. Assim, a partida foi dada como encerrada.

Com o resultado, o Boyacá Chicó chegou a 15 pontos e subiu para a 15ª colocação entre 19 times. O Águilas tem 14 e está na 17ª posição.