Publicidade
FAS

Na noite mais fria da Ação Inverno, prefeitura acolhe 646 moradores de rua

(Foto: SMCS)

A Prefeitura de Curitiba acolheu 646 pessoas em situação de rua na noite desta segunda-feira (25/5) e madrugada de terça-feira (26/5), quando foram registrados 4º graus, a menor temperatura desde o início da Ação Inverno – Curitiba que Acolhe, no último dia 15. O número é maior do que o verificado nas noites anteriores, quando quase 600 pessoas dormiram nos abrigos do município.

Por causa da previsão da continuidade do frio, o trabalho de busca e oferta de acolhimento para essa população foi intensificado das 18h às 24h, medida que será adotada durante toda a semana.

Das 18h às 7h, 49 pessoas foram encaminhadas pelas equipes da FAS, que percorrem toda a cidade para oferecer acolhimento e garantir que todos possam dormir protegidos. Outras 269 pessoas procuraram espontaneamente os abrigos municipais, que oferecem espaço para banho, roupas limpas, alimentação e cama com cobertores para dormir. 

As equipes fizeram 118 abordagens sociais e em 21 casos a equipe se deslocou até o endereço informado, mas não havia ninguém no local. Apesar do frio, o atendimento foi recusado por 63 pessoas, mesmo com os educadores sociais alertando para o risco de ficar nas ruas por causa das baixas temperaturas e da possibilidade de contaminação pelo novo coronavírus.

Durante as abordagens, as equipes encaminharam um adolescente para acolhimento e outros três adultos retornaram para suas famílias. Três pessoas que estavam com animais de estimação foram acolhidas em unidades que possuem canis.

População pode ajudar  

Das 118 abordagens sociais realizadas pelas equipes da FAS, 69 foram feitas a partir de solicitações que chegaram à Central 156, canal de comunicação da população com a Prefeitura.

O número é considerado baixo e preocupa a FAS. Segundo a diretora de Atenção à População em Situação de Rua da FAS, Vanessa Resquetti, em noites muito frias o número de protocolos abertos no 156 chega a 200.

“Temos um mapeamento grande dos pontos com maior concentração da população em situação de rua, mas nossa preocupação é com as pessoas que estão sozinhas e buscam locais mais afastados para se proteger”, explica.

Embora a FAS tenha 14 equipes percorrendo toda a cidade, a diretora pede que a população informe a Prefeitura sempre que vir uma pessoa em situação de rua. “A população são os olhos da FAS, só assim conseguiremos abranger todos os pontos da cidade”, diz.

A população pode entrar em contato com a Central 156 por meio de telefone, chat ou pelo aplicativo Curitiba 156. Basta informar o endereço em que a pessoa se encontra e uma equipe de abordagem irá até o local.     

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES