Transporte coletivo

Na RMC, Metrocard mira segurança de passageiros durante a pandemia

Ônibus metropolitano: cuidado com segurança sanitária
Ônibus metropolitano: cuidado com segurança sanitária (Foto: Franklin de Freitas)

A segurança dos trabalhadores e passageiros de ônibus durante a pandemia da covid-19 virou prioridade para a Metrocard, associação que congrega as empresas do transporte coletivo da região metropolitana de Curitiba. A associação lançou uma cartilha de cuidados para usuários do transporte, motoristas e cobradores do sistema. E, mais recentemente, a Metrocard comemorou que empresas do grupo receberam um selo de Conformidade Sanitária, emitido pela Global Certification System (GCS).

“Oferecer um transporte seguro para todos é nosso compromisso com a sociedade. O reconhecimento recebido pelo Grupo Leblon reforça que os protocolos adotados são eficazes e reflete de maneira positiva no setor”, disse o presidente da Associação Metrocard, Lessandro Zem. Entre os critérios avaliados estão a adoção de processos e protocolos de segurança sanitária, entre os quais, na prevenção à Covid-19. Foram 50 quesitos examinados pelos auditores da certificadora, organizados em 8 tópicos: Instalações incluindo os ônibus, Controle de Acesso, Condições Ambientais, Política de Saúde e Segurança, Recursos Humanos, Provedores Externos, Comunicação e Gestão de Contingências.

A cartilha, por sua vez, traz dicas de prevenção à Covid-19. Há os itens mais comuns, como uso obrigatório de máscara dentro do ônibus – para todos – e uso de álcool gel 70% para higienizar as mãos. Os ônibus devem dispor do produto.

Para os passageiros, há recomendações como evitar usar o ônibus em horários de pico e não usar o transporte se o passageiro estiver com algum sintoma de Covid-19. No caso de motoristas e cobradores, há instruções para monitorar o fornecimento de álcool gel e orientar os passageiros a não embarcarem se o veículo estiver com a lotação máxima determinada pelas autoridades de saúde.

Atualmente, a Metrocard tem 19 empresas associadas, que contam com uma frota de mais de 850 ônibus, mais de 6.000 colaboradores e quase 500 mil deslocamentos por dia. Segundo dados da associação das empresas, em dias úteis a média é de 148 mil usuários pagantes, em dias úteis, além de 15 mil usuários isentos. Aos sábados, são 67 mil usuários pagantes e 6 mil isentos, em média. Aos domingos, a média é de 23 mil pagantes e 3 mil isentos.

Riscos

Na última semana, a Metrocard citou uma matéria da Prefeitura de Curitiba segundo a qual, dos cerca de 300 mil passageiros que diariamente passam pelas catracas do transporte coletivo de Curitiba, 99,9% não têm diagnóstico de Covid-19. A ideia era reafirmar que o transporte coletivo é estatisticamente seguro no que diz respeito ao risco de infecção por coronavírus.

Pela norma brasileira NBR 15570, os veículos devem ter um sistema que ofereça um fluxo de ar equivalente a 20 vezes o volume do veículo por hora. No caso dos ônibus, é uma troca completa do ar a cada três minutos. Essa troca ocorre nos veículos graças aos sistemas exaustores — e isso sem considerar a abertura de portas a cada parada. Na prática, a renovação é superior ao que se tem como norma para espaços públicos que as pessoas consideram seguros, como shoppings ou supermercados. Mesmo assim, recomenda-se que as pessoas usem máscaras e procurem manter distanciamento entre si no veículo. E, claro, todos os ônibus precisam estar devidamente higienizados.

Cartão é a forma mais segura de pagar a passagem; há razões para isso

Em tempos de pandemia, o cartão-transporte virou uma segurança a mais na hora de pagar a passagem de ônibus. Afinal, evita que passageiros e cobradores mexam com cédulas e moedas – itens considerados “sujos” para se manipular. O cartão, por sua vez, é “tocado” apenas pelo seu próprio usuário.

No transporte na região metropolitana de Curitiba, pagar com o cartão tem mais vantagens em termos de segurança. A tecnologia utilizada pela Metrocard no sistema inviabiliza fraudes, já que os cartões não são passíveis de clonagem e falsificação. Em caso de perda ou roubo, o sistema permite que o usuário recupere os créditos remanescentes.

Segundo cálculos da Metrocard, o porcentual de pessoas que paga a passagem com o cartão chega a 65,3% do total. Os outros 34,7% usam dinheiro em espécie.

Na tecnologia usada pelo sistema há biometria facial, gerenciamento de frota, aplicativo com acompanhamento de horários e linhas de ônibus em tempo real, Wi-Fi em tubos e terminais e acessibilidade, além de um moderno Centros de Controle Operacional.

Outra vantagem é a praticidade. E não apenas no embarque. Os créditos dos cartões podem ser recarregados a bordo dos ônibus, tubos, terminais ou postos de atendimento. Além disso, a compra de créditos pode ser feita via internet, totens e aplicativos de celular.

Entre 2015 e 2020, a Metrocard tinha parceria com a empresa Acesso, que oferece e administra cartões de crédito pré-pago. Nesse período, o serviço foi oferecido aos clientes Metrocard. Mas foi encerrado em dezembro de 2020, quando acabou o contrato.

Como fazer o cartão Metrocard

Pessoa Física

A emissão do cartão é gratuita, mas é necessária uma carga mínima no valor de uma passagem. O usuários deve se dirigir a um local de cadastramento com RG (original), CPF (original) e comprovante de endereço. Para outra pessoa retirar o cartão, deve-se imprimir o “Termo de recebimento do Cartão Metrocard” e trazer preenchido e assinado pelo titular. Há isenção de portadores de necessidades especiais, idosos a partir de 65 anos e funcionários das empresas que têm direito à isenção.

Empresas

Podem cadastrar seus funcionários através do sistema de WebCommerce e solicitar a posterior retirada do cartão na Central Metrocard.

Para pagar o cartão

Para compras feitas pela internet, pagamento através de boleto bancário, pagável em qualquer banco e/ou instituição conveniada. Para esta opção, haverá a cobrança de tarifa de boleto no valor de R$ 1,66
Através de depósito identificado, pagável exclusivamente nos caixas das agências do Banco Itaú. Opção isenta de tarifas adicionais.
Nos guichês dos postos de Atendimento, exclusivamente em dinheiro
Nos totens de autoatendimento em terminais, exclusivamente em cartão de débito
Por meio do Aplicativo da AcessoCard por meio de créditos do cartão pré-pago
Por meio do Aplicativo Qiwi; permite a escolha da forma de pagamento no momento de efetivar a compra

Dúvidas mais frequentes

O primeiro cartão é fornecido gratuitamente ao cliente. Já a emissão de segunda via por mau uso, extravio ou roubo, bloqueio por solicitação do usuário ou bloqueio por identificação de fraudes no uso do cartão tem uma taxa administrativa equivalente a 5 (cinco) vezes a Tarifa Pública Básica vigente.
Em caso de extravio, roubo ou danificação, os créditos não são perdidos. Mas a notificação à empresa é de responsabilidade do cliente.
- Se o cartão apresentar problema de leitura, é necessário utilizar outro cartão ou pagar em dinheiro para que seja feita a liberação do acesso
- O cartão Cliente Vale-transporte pode ser utilizado tanto para uma ou mais empresas efetuarem as compras quanto para o próprio cliente efetuar a sua recarga com créditos do tipo Cliente Pessoa Física, sem a necessidade de um novo cartão.
- Os beneficiários do vale-transporte podem utilizar o mesmo cartão para carregar recursos particulares. Os valores são individualizados nos cartões e quando o empregador for recarregar o benefício do VT não terá acesso aos valores utilizados como créditos para uso como Cliente Pessoa Física.
- Cada usuário poderá ter um único tipo de cartão ativo.
- Nenhum cartão eletrônico poderá conter saldo de Unidades de Crédito superior ao valor equivalente a 150 passagens da Tarifa Pública Básica.
- Se sobrarem créditos no cartão vale-transporte, eles não podem ser trocados por dinheiro ou ser transferidos para outro cartão.
- Para cancelar o cartão em caso de extravio, roubo ou danificação, o procedimento é entrar em contato com a Central de Atendimento Metrocard pelo telefone 3093-3232, no horário das 8 às 20 horas, pelos canais de comunicação do site (Chat ou WhatsApp) ou pessoalmente nos postos de atendimento, verificando o horário de cada um, apresentando um documento de identificação.

Endereço central da Metrocard: Rua Tibagi, 366, Centro, Curitiba. Telefone (41) 3093-3232

Cidades atendidas pelo cartão Metrocard, por região

Almirante Tamandaré,
Rio Branco do Sul e Itaperuçu
Araucária e Contenda
Campo Largo e Balsa Nova
Campo Magro
Colombo e Bocaiúva do Sul
Fazenda Rio Grande, Mandirituba e Agudos do Sul
Manditiruba e Quintandinha
Pinhais, Piraquara e São José dos Pinhais
Quatro Barras e Campina Grande do Sul
Tunas do Paraná