Publicidade
Câmara

Ameaçado de expulsão, deputado do PSL de Bolsonaro reclama de 'fogo amigo'

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Ameaçado de expulsão do PSL, o deputado federal mineiro Charles Evangelista afirmou neste sábado (9) que, se notificado pela direção de seu partido, recorrerá. Ele criticou o que chamou de fogo amigo.

Na semana passada, Evangelista disputou com o presidente da legenda, Luciano Bivar (PE), a segunda vice-presidência da Câmara e perdeu de 184 a 198 votos. 

O vice-presidente do PSL, Antonio Rueda, entrou com a medida punitiva.

O episódio reforça a falta de unidade da bancada do partido do presidente Jair Bolsonaro, a maior da Câmara ao lado do PT.

"O partido não tem motivo para me punir, porque não houve reunião para deliberar o assunto", reclamou.

"O que não pode ter é conspiração, fogo amigo de quem pensa em si próprio, e não no Brasil."

Evangelista saiu em defesa do deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), escolhido líder do governo Bolsonaro, cuja capacidade de articulação é questionada na bancada de seu partido e fora.

"Major Victor Hugo é de extrema confiança do presidente, totalmente capacitado, muito bem articulado e estamos com apenas dez dias de mandato. Bolsonaro está em partes debilitado por conta do atentado que sofreu. O que pudermos fazer para defender o governo vamos fazer."

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES