Publicidade
Coisa de gremista

Jogador da Rússia afirma ser grato ao técnico brasileiro Celso Roth, ex-Grêmio e Coxa

Mario Fernandes (\u00e0 direita) enfrenta a Espanha de Isco
Mario Fernandes (\u00e0 direita) enfrenta a Espanha de Isco (Foto: Reprodução/Rfs.ru)

MOSCOU, RÚSSIA (UOL/FOLHAPRESS) - Sem clube para treinar desde dezembro de 2016, Celso Roth foi lembrado por um dos personagens da Copa do Mundo neste domingo (1). Brasileiro naturalizado russo, o lateral-direito Mario Fernandes falou sobre o começo de carreira e agradeceu ao ex-técnico do Grêmio por tê-lo deslocado da zaga para a lateral.

"No Grêmio tem muitas pessoas que me ajudaram. O Celso Roth me colocou na posição, falou: 'Você vai jogar de lateral'. Sou grato a ele e ele tem grande parcela disso", comentou o jogador, na zona mista do Estádio Luzhniki, após a Rússia eliminar a Espanha nos pênaltis.

Um dos destaques da campanha russa até aqui, o lateral-direito defende o CSKA Moscou desde 2012 e, quatro anos depois, obteve a cidadania russa. Paulista, porém, ele diz que quer ver a seleção brasileira avançando. Só não quer enfrentar os compatriotas numa eventual final. "Depois da Rússia, torço pelo Brasil. É o meu país, onde nasci. Tomara que vença, mas não chegue na final", disse.

Diante dos jornalistas, Mário Fernandes evitou entrar em polêmicas sobre os jogadores que jogam em sua posição na seleção brasileira. Elogiou todos: "A lateral da seleção brasileira está bem servida, tem grandes jogadores. O Danilo se machucou, o Fagner entrou muito bem, tem o Dani Alves machucado. São grandes jogadores."

A Rússia eliminou a Espanha nos pênaltis depois de empate por 1 a 1 no tempo regulamentar e na prorrogação. Nas quartas de final, os russos pegam quem vencer entre Croácia e Dinamarca.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES