Nas redes sociais da China, fúria com visita de Pelosi a Taiwan vira frustração

Enquanto a presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, viajava para Taiwan desafiando os avisos de Pequim, as mídias sociais chinesas estavam repletas de pedidos de ação forte em represália. Mais tarde, alguns desses pedidos se transformaram em descontentamento com a percepção de que a resposta de Pequim foi mansa.

As expectativas de uma forte reação foram alimentadas no período que antecedeu a viagem planejada de Pelosi por comentários como os do ex-editor-chefe do tabloide estatal Global Times, Hu Xijin, uma das vozes nacionalistas mais proeminentes da China.

Após as promessas de medidas reativas, alguns se decepcionaram quando Pelosi conseguiu pousar em Taipei, com pouco mais do que uma enxurrada de mensagens severas de funcionários do governo e meios de comunicação estatais.

Ao longo da estada de cerca de 19 horas de Pelosi em Taiwan, Pequim desencadeou sanções às importações de frutas e biscoitos taiwaneses e exportações de areia natural da China, enquanto anunciava exercícios militares que devem ocorrer até domingo.

Alguns internautas expressaram desapontamento com o que perceberam ser uma impunidade de Pelosi por desafiar abertamente as advertências de Pequim.

Com a democrata já longe e os exercícios do Exército de Liberação Popular programados para começar, os internautas chineses clamaram por imagens dos exercícios prometidos. Quando a emissora estatal Televisão Central Chinesa (CCTV) informou o início de tais exercícios, centenas de milhares de internautas sinalizaram sua curiosidade. "Existe uma transmissão ao vivo?" era um dos comentários mais populares.

Depois que a CCTV satisfez as demandas com imagens de mísseis sendo lançados, um usuário aprovou: "Só tenho uma palavra para isso: Incrível". Fonte: Dow Jones Newswires.