Série B

Nenê marca, Vasco bate Brusque em jogo polêmico e segue na briga pelo acesso

Fernando Diniz, técnico do Vasco
Fernando Diniz, técnico do Vasco (Foto: Rafael Ribeiro / Twitter / Vasco)

O Vasco enfim desencantou sob o comando de Fernando Diniz. Na noite desta sexta-feira, em um jogo com atuação desastrosa da arbitragem, o time carioca derrotou o Brusque por 1 a 0, no estádio Augusto Bauer, pela 26ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O único gol do duelo foi marcado por Nenê.

Com o resultado, o Vasco chegou aos 37 pontos e continua sonhando com o acesso. O time carioca terminou o sábado na sétima posição. O Brusque, por outro lado, ficou com 29, em 16º. Os três pontos perdidos, em razão da punição por racismo, ainda não foram homologados pela CBF.

Destaque negativo ficou por conta da arbitragem, que teve atuação muita polêmica ao expulsar Léo Matos, do Vasco, em um lance duvidoso e anular o segundo gol do Brusque, apresentando uma imagem contestável.

Com 40 anos, Nenê foi um achado do Vasco nesta reta final da Série B. Apesar do time estar com um homem a menos, o meia chamou a responsabilidade e foi novamente decisivo. Se não tinha muito espaço no Fluminense, com a cruz de malta no peito tem feito a diferença. Foi dele o único gol na noite desta sexta-feira.

Bem marcado, Nenê teve poucas oportunidades no primeiro tempo, mas fez valer o seu talento bem quando o Vasco mais precisou. O meia recebeu um belo cruzamento de Zeca e acertou um lindo chute de primeira para estufar as redes do goleiro Ruan Cerneiro. Praticamente toda jogada de ataque passava por seus pés.

E a motivação está mesmo em alta. Quando Fernando Diniz tentou substituí-lo, Nenê bateu o pé e permaneceu até o final. O treinador havia sido avisado que o meia estava cansado e, após uma conversa rápida na beira de campo, mudou de decisão e deixou o seu principal atleta em campo.

Mas nem tudo foi só alegria. O Vasco sofreu e contou muito com a sorte e com uma arbitragem desastrosa para sair com a vitória. Com a ajuda do VAR, Savio Pereira Sampaio anulou dois gols do clube catarinense, o segundo de forma equivocada, dando a impressão de que o árbitro de vídeo errou na marcação das linhas ao anular o lance.

Curiosamente, minutos antes, o Vasco foi pivô de um lance muito polêmico. Aos 43 minutos do primeiro tempo, Léo Matos subiu para cabecear, abriu o braço demais e acertou o rosto de Claudinho. Savio Pereira de Sampaio fez uso do VAR para expulsar o jogador.

Com um jogador a menos, o Vasco custou para segurar o Brusque, que já havia sofrido um baque durante o dia ao perder três pontos por atos racistas de seus dirigentes na direção de Celsinho, do Londrina. Em campo, além dos dois gols anulados, o time catarinense encontrou um goleiro Vanderlei inspirado. Ele fez grandes defesas para ajudar os cariocas a saírem com os três pontos.

Na próxima rodada, o Vasco enfrenta o Goiás, na segunda-feira, às 20h, no estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ). Na quarta-feira, às 19h, o Brusque visita o Brasil, no Bento Freitas, em Pelotas (RS).

FICHA TÉCNICA:

BRUSQUE 0 x 1 VASCO

BRUSQUE - Ruan Carneiro; Toty (Toni), Claudinho (Ianson), Éverton Alemão e Airton; Rodolfo Potiguar, Nonato (Edílson), Zé Mateus, Jhon Cley (Diego Mathias) e Garcez (Fio); Edu. Técnico: Waguinho Dias.

VASCO - Vanderlei; Léo Matos, Ricardo Graça, Leandro Castan e Zeca; Bruno Gomes, Marquinhos Gabriel e Nenê; Morato (Wálber), Cano (Daniel Amorim) e Gabriel Pec (Romulo). Técnico: Fernando Diniz.

GOL - Nenê, aos 10 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Éverton Alemão e Zé Mateus (Brusque); Nenê e Vanderlei (Vasco).

CARTÃO VERMELHO - Léo Matos (Vasco).

ÁRBITRO - Savio Pereira Sampaio (DF).

RENDA E PÚBLICO - Jogo sem torcida.

LOCAL - Estádio Augusto Bauer, em Brusque (SC).